Já Se Percebeu Que Tudo É O Que Não Parece

O sindicato dos motoristas de matérias perigosas marcou uma nova greve, desta vez ao trabalho suplementar, para Setembro. Isto sem que tenha ocorrido sequer qualquer negociação. O que faz pensar que a suspensão da última greve foi apenas táctica e destinada a não perder a face num contexto que começava a ser complicado do ponto de vista jurídico, político e económico (devido à forma como o governo estava a aplicar serviços máximos-mínimos, alegando que iria existir uma mediação que, afinal, nem chega a ser. Será que Costa encontrou, enfim, a sua verdadeira oposição ou um salvo-conduto para a maioria absoluta? Confesso que ainda não percebi.

contorcionismo

6ª Feira

Quem o impacto ou eficácia de uma greve que não não tenha efeitos “negativos” que pressionem quem decide (seja o patronato formal ou informal)? Uma greve meramente simbólica vale tanto como um cravo na lapela no dia 25 de Abril. Fica bem, mas vale de pouco. É triste ver o direito à greve ser sucessivamente demonizado e espezinhado pelo nosso governo mais à “esquerda” desde 1976. Se era para isto, declaro-me mais do que arrependido por ter achado, em 2009 (primeiro manifesto em defesa de uma solução PS/PCP/BE) e 2015, que valia a pena experimentar.

cravo murcho

E Já Agora Peçam Para Nas Próximas Palavras Cruzadas A Shodôna Mercedes…

… ou quem a substitua, caso ande cansada, mandar rever definições. Porque, afinal, há aqueles que “ensinam quando não estão em greve ou morreram”, Porque há gentinha mesmo sem ética nenhuma… então faz algum sentido morrer em plena aula e deixar os alunos traumatizados. Seria caso para processo disciplinar post-mortem.

Scream

[Título Auto-Censurado Por Conter Uma Carrada Assinalável de Obscenidades De Variado Recorte Vernacular]

O ministro das Finanças garante que, pela primeira vez em 20 anos, a carreira docente está a ser completamente respeitada.

Colbert Finger

(mas este engonhado, que parece estar sempre meio atardalhado a falar e com um sorriso de idiota podia ao menos ter o decoro de não gozar connosco?)

E Eu É Que Sou Do Contra?

Pelas 13.40, Francisco Louçã e Carvalho da Silva, na hora de almoço da TSF, arrasavam a estratégia mais recente de Mário Nogueira, chegando o último a dizer que em certas alturas há “quem se agarre a qualquer coisa”  a propósito do apelo que o líder da Fenprof fez a PCP e Bloco. Repare-se que nem estou dizer se estão certos. Apenas que se fosse eu, era logo de anti-sindicalista e anti-comunista para baixo.