Continua A Retoma

Gosto muito do Afonso Cruz e este livro, ao fim da primeira centena de páginas, é muito bom de forma consistente. O policial nórdico do conjunto é o terceiro de uma série bastante boa. Já o policial sul-coreano no feminino vem na sequência da descoberta de outros autores orientais do género, como Natuso Kirino (japonesa), Kim Young-ha ou Hideo Yokoyama. O resto é na base da descoberta, porque em regra os prémios Booker e Goncourt são valores seguros.

Ainda Há Esperança

Ao fim do dia de ontem, tive a reunião dos três árbitros de mais um recurso relativo à avaliação de desempenho de um colega e correu muito bem. Não porque estávamos todos de acordo, mas porque se soube discordar de modo fundamentado e existiu um assinalável respeito mútuo. Acabámos por adaptar as três posições a chegar a um consenso no essencial. Ninguém esteve a pensar em vitórias ou derrotas, mas em procurar a melhor solução para a situação, com fundamentação válida. Não é a primeira vez que me acontece e, com sinceridade, os abusos descritos há uns dias têm sido a excepção. Mas aquela meia hora, pouco mais, de ontem, fez-me recuperar alguma esperança. Não que tudo isto possa mudar, mas ao menos que possamos analisar as disputas e conflitos com rigor e elevação.

Os Meus Álbuns

For God’s sake, burn it down.

É assim que começa, depois de sintonizada a telefonia, embora não faça parte da letra oficial. Um início brilhante para um álbum muito especial do qual gosto mais agora do que há 40 anos.

Este não tinha. Era o meu amigo Luís que mo emprestava, com a capa sem este ar esverdeado, se é que alguém se lembra da edição original por cá.

5ª Feira – Dia 67

É gratificante quando se tem alunos que gostam de ir além do que são os conteúdos curriculares, que questionam, que querem saber mais. Que não hesitam em perguntar ou em informar-se sobre assuntos que os interessam ou acerca dos quais sentem curiosidade. Que vão contra os lugares-comuns que afirmam que os jovens de hoje só querem saber do presente, das tecnologias. Alunos que não acham chatos os tais saberes “enciclopédicos” e que querem que o professor os guie na pesquisa ou que discuta com eles aspectos que vão muito além do previsto nos documentos oficiais.

A Testagem Sempre Avança?

Exmo(a). Senhor(a) Diretor(a)/Presidente de CAP,

Face à necessidade de preparar atempadamente o processo de testagens que venha a ocorrer aquando do regresso às atividades letivas presenciais, nos termos que vierem a ser decididos, solicitamos o preenchimento do ficheiro anexo.

Alertamos para o seguinte:

É crucial para o sucesso da operação de testagem que toda a informação dos campos constantes no ficheiro seja preenchida de forma correta. Nota: de forma a facilitar o preenchimento, existem campos pré-definidos. No campo Código do AE/ENA devem colocar o código da Unidade Orgânica e não o da Escola.

Todos os docentes e não docentes do AE/ENA devem constar no ficheiro, incluindo técnicos. Essa é uma condição obrigatória para a realização da testagem. Os técnicos especializados para formação devem ser incluídos na folha Pessoal Docente e os outros técnicos na folha Pessoal Não Docente com a categoria profissional Técnico Superior (TS) – se necessário, devem ser acrescentadas linhas.

O preenchimento deve ser concretizado até ao dia 9 de março de 2021, pelas 18h, e o ficheiro remetido para testagem.dsrc@dgeste.mec.pt

Muito agradecemos a Vossa colaboração, nesta tarefa coletiva tão importante para a proteção de todos!

Com os melhores cumprimentos,

(quanto à vacinação, vou duvidando, pois a FNE e a Fenprof já mostram todo o a seu altruísmo – a começar pelos seus líderes que continuarão em gabinete – afirmando que não se deve passar à frente dos idosos numa fila, como se fosse disso que se tratasse…)