Um Ministro Para Todas As Festividades

O mesmo ministro que andou pelo estádio da Luz a ver a final da Champions com o PM não foi capaz de fazer chegar às escolas um manual de instruções quanto aos procedimentos a ter neste início de ano lectivo. Chega dia 7. Chega a tempo, dirão os do costume. Será que era preciso autorização do secretário de Estado?

Phosga-se! Série Especial “Estamos On”

1. Identifique a turma (ano e letra(s)) [sic]

2. Houve informação aos alunos sobre o cronograma de trabalho em contexto virtual, como horários pré-estabelecidos?

3. Foram promovidas sessões de formação a [sic] distância ou disponibilizados recursos para autoaprendizagem dos docentes?

(…)

Como se define um cronograma sem se saber com que prazos lidamos?

E continua assim até ao nº 18… no Microsoft Forms, claro.

grito2

 

 

Um Enorme Equívoco

Há duas hipóteses:

  1. Isto não é muito para levar a sério e acreditamos que uma quinzena entre 15 e 30 de Março resolve tudo e o vírus emigra para o centro da Terra ou para os anéis de Saturno.
  2. A ameaça é séria e só por anedota se pode pensar que nas férias da Páscoa tudo está resolvido e que as coisas se remendam com “aulas extra”, sendo que eu convidaria @s senhor@s director@s para darem um exemplo de voluntariado nesta matéria,

Os alunos de 9.º, 11.º e 12.º anos devem ter aulas de compensação às disciplinas em que tenham exames, defende Filinto Lima, sublinhando, no entanto, que cada comunidade educativa tem autonomia para decidir quais as medidas a aplicar tendo em conta a sua realidade escolar. “As aulas extras podem ser na pausa da Páscoa ou no final do ano lectivo, no final de Junho, quando os alunos estão a preparar-se para os exames”, explicou à Lusa.

O impacto das aulas perdidas por causa do encerramento das escolas também começa a ser um assunto que preocupa os pais, que garantem ter sempre como prioridade a saúde e bem-estar dos filhos. “A saúde dos filhos está em primeiro lugar e neste momento a principal preocupação é garantir a segurança de todas as crianças”, disse à Lusa o presidente da Confederação Nacional das Associações de Pais (CONFAP), Jorge Ascenção.

Como pai e encarregado de educação estou mesmo preocupado com a saúde da minha petiza, pelo que aguardo as iniciativas da Confap para despiste das situações em que encarregados de educação andam a ocultar por onde andaram no Carnaval.

Ze Povinho