Silva, Porfírio Silva, Um Operacional Entre As Mulheres

RTP3, programa Parlamento. A discutir as retenções ou não retenções.

Sendo professora, esperava algo mais complexo na argumentação da deputada bloquista Alexandra Vieira. Do lado do PCP a renovação da guerra aos “exames”, compreensível em quem defende o igualitarismo indiferenciado. à direita, nada de especialmente novo porque, afinal, toda a gente está de acordo com os princípios e tal. Jã é mais curioso que alinhem com a esquerda na reclamação de “mais meios” quando até há directores a afirmar que deve poupar-se no recurso ao “dinheiro dos contribuintes”.

 

Sei que ele é muito necessário neste tipo de trabalho de sapador, mas começa a ser tempo de lhe darem um gabinete e um motorista na 5 de Outubro.

Falta Menos Treta

Não há pachorra para tantos especialistas em  “falta de formação”. É que esta gente não se enxerga mesmo.

Professores: falta formação em desenvolvimento pessoal

É urgente trazer para a área da educação o coaching, o mentoring e outras áreas do desenvolvimento pessoal, para que os professores desenvolvam, sem receios, as suas potencialidades de serem geniais educadores.

bla bla

Importa-se De Repetir?

Numa semana marcada por várias agressões entre alunos e professores, os números oficiais disponíveis desmentem que haja uma escalada de violência dentro dos portões da escola. O que preocupa os especialistas é o cansaço e o envelhecimento da classe docente e a crescente indisciplina dos alunos.

Os números disponíveis na minha conta da água desmentem a sua falta na minha torneira, o que me preocupa enquanto não especialista é a seca e o baixo nível de água nas barragens.

Ou qualquer coisa assim, porque o meu cansaço com estatísticas marteladas é imenso. E não pensem que é apenas má língua… todos sabemos o que se passa em matéria de “reporte” de muitas “ocorrências”. Basta questionar os alunos acerca do que observam no seu quotidiano que, em termos de violência verbal atinge níveis absolutamente indescritíveis de abuso e em termos físicos não vai mais longe porque ainda se conseguem fazer alguma intervenção, com destaque para o pessoal não docente. Os RASI podem apresentar uma descida das ocorrências nos dois últimos anos, mas seria bom tentar perceber como é que, à micro-escala, isso foi possível.

Se as escolas são, globalmente, espaços seguros? Sim, ainda são. E não são mais porque as associações de directores falam muito mas agem pouco, parecendo achar que ganham mais com o soft power e o falar mansinho.

Ouroboros

Já O Fazemos, Não Precisamos De Tau-Tau De “Ambientalistas” Desejosos…

… de ter uns grupos de trabalho que concluirão, na sequência da definição de uma “Estratégia Nacional” e de um “Plano de Acção” que é preciso darem “formação” aos professores e, quiçá, criar uma nova disciplina transversal com a chancela “JC”.

O Estado não obriga as escolas a reciclar. Devia fazê-lo?

Colbert Finger

A Vantagem De Ser Pai, Docente Básico E Profissional Na Detecção Analógica Da Treta…

… é que se identificam com facilidade as pretensas luminárias de uma presumida modernidade e a sua ignorância quanto ao facto da tecnologia (desde o fogo e a roda) sempre ter tido impacto no futuro da sociedade.

A vantagem de ser pai, docente universitário e profissional de Transformação Digital é que me permite tomar consciência direta do impacto que a evolução tecnológica tem no futuro da sociedade.

O que se ganharia se fosse possível fazer a compostagem dos lugares-comuns e fazer a sua transformação em adubo tecnológico!

CatAlice