A Teoria Das “Bolhas”

Está em voga e não só por cá. A directora-geral da Saúde voltou a ela para explicar ao povo que deve socializar menos, mesmo em família, quando se juntam pessoas de agregados/núcleos/”bolhas” diferentes. Pois podem trazer contágios de uma bolha para outra.

O que seria engraçado, se não fosse trágico, é que parecem desentender que cada turma/bolha numa escola corresponde ao contacto entre 30 bolhas familiares (de alunos e professores diferentes), renovado todos os dias. É mesmo muita pena que aquelas conferências de imprensa pareçam as conversas em família do antigamente.

Todos Os Anos É O Mesmo

Aparece sempre um destaque oportuno do estudo anual da OCDE a dizer que os professores portugueses isto e aquilo, são uns privilegiados que ganham que se fartam e tem montes de regalias. É mais do que evidente que um professor ganha mesmo mais do que outros profissionais com qualificações idênticas… até porque os professores, na sua larga maioria, tiveram de fazer formações pós-licenciatura. Estou mesmo a ver um médico com 30 anos ou mais anos de carreira a levar 1500 euros limpos para casa. Ou um advogado. Ou um engenheiro. Ou um economista, mesmo no mais falido dos bancos.

Mas mesmo que assim fosse, garanto que o mereceria e só tenho pena que estes estudos do Education at a Glance deixem muito a desejar em algumas comparações que fazem sempre com base numa tabela salarial e estrutura de carreira que são uma ficção. Adoro quando eles fazem aquela de colocar um professor com 15 anos de serviço a ganhar pelo 4º escalão, quando quase todos estão no 2º. Mas é o que fazem passar para a opinião pública.

E depois há coisas incompreensíveis, quando a tabela salarial é única para todos os níveis do Ensino Não-Superior. O que quer isto dizer?

Quanto aos salários auferidos, os professores portugueses dos primeiros anos de ensino ficam a ganhar ligeiramente na comparação, mas recebem menos do que a média na OCDE nos níveis de escolaridade mais avançados.

Mais Uma Teoria Da Treta Pela Janela Fora

A de que estratégias como a da Suécia não agravavam muito a questão sanitária ao mesmo tempo que defendiam a economia. Claro que por cá (e não só) os defensores desta tese, vão agora assobiar para o lado ou dizer que não é bem assim.

PIB sueco cai 8,2% no segundo trimestre

A Suécia foi dos países mais brandos a combater a pandemia de covid-19, não tendo parado por completo a sua economia. Ainda assim, sofreu a pior contracção económica desde que há registo.

swedish chef

Havia A “Salsicha Pedagógica”

Agora há as “bolhas de alunos”. Têm, estão a ver, uma membrana exterior que os isola do ambiente envolvente e ficam ali todos em segurança a conviver, porque são bolhas grandes e espaçosas. E muito ventiladas.

Durante a audição na comissão, o ministro desvalorizou a polémica em torno do distanciamento físico entre alunos e professores, lembrando que as escolas vão funcionar com circuitos de circulação e “bolhas” de alunos.

These are the days of miracle and wonder
This is the long distance call
The way the camera follows us in slo-mo
The way we look to us all

picareta

(e é este tipo que ficará para a História como o ME mais tempo no cargo em Democracia…)

Os Amiguinhos Do Costume

E aquela conversa enrolada para fazer boi dormir.

O secretário de Estado da Educação explica que quer “fazer uma transição que não é experimentalista e que foi preparada com uma capacitação para aquilo que podem ser os obstáculos”. O objetivo, segundo o governante, é alcançar resultados o mais positivos possível, porque, como diz, se, por exemplo, “o próprio professor não conseguir explorar amplamente as capacidades dos recursos digitais, eles podem ser ou relativamente inúteis ou, até, não serem um bom substituto do papel”.

O grupo de dez escolas consta de uma lista que o próprio diz ainda não estar fechada, mas que terá “diferentes contextos geográficos, diferentes cenários socioeconómicos de implantação da própria escola”.

João Costa sublinha que se poderá tentar uma desmaterialização dos manuais já em setembro, “para servirem também um pouco de tubo de ensaio para a escalagem para todos os agrupamentos de uma forma progressiva”.

E se continuarem a ler a notícia percebem logo quem está à espera de encomendas.

Carapaus

Fiquei Esmagado Pela Perspicácia E Profundidade

(claro que eu pensava que passa por saber algo do que se ensina e ter alunos motivados para aprender, mas sou velho e arcaico e nem sequer sou MEM-fanatic)

Secretário de Estado da Educação diz que essência de ensinar passa por “estar face a face, acompanhado por dispositivos”

E agora perguntamos nós… o que pode ser considerado um dispositivo?

Agamben

O Meu Apelo Aos Pais Portugueses

Se em Setembro os pais forem parte do problema, em vez de parte da solução, teremos outro ano catastrófico, e o direito à educação só estará realmente assegurado por aqueles que tiverem dinheiro para o pagar.

bullshit-detector

(ainda não percebi bem se o JMT faz certos textos mesmo só para provocar reacções e subir as polémicas… aquela parte final sobre “a perda progressiva de um sentido profundo de dever cívico” merecia prosa específica e umas belas bengaladas retóricas em que anda a assobiar para o lado acerca das consequências do desconfinamento…)

(cá em casa fui o único a não voltar porque sou “básico”, a aluna “secundária” e a professora “secundária” voltaram… eu até preferia que fosse ao contrário, não por “um sentido profundo de dever cívico” mas por razões de defesa da sua saúde e bem.estar…)

(como se percebe… abomino a sério lições sobre “um sentido profundo de dever cívico” quando se trata de mandar os outros para as trincheiras para se poder ficar a escrever, descansado, em casa…)

Homem, Calado És Um Poeta!

Não tentes teorizar com base em guiões. Ninguém acredita que percebas mais agora do que há 5 anos. Debitas chavões. Vai para a sombra. Não chateies. Não qualifiques as atitudes e opiniões dos outros, que percebem mais disto num dedo mindinho do que tudo no corpo todo. Se tivesses algum decoro, ias-te embora, arranjavas um lugar qualquer que não fosse o de ministro durante dois mandatos graças a um imenso vazio. Já tive alguma reserva, mas quando escreves num espaço de “Direita” (de acordo com os teus maniqueísmos mentais) prosas da treta, só me apetece puxar do vernáculo.

Poupa-nos!

E o AHC poderia ter-nos poupado a isto, mas não resistiu.

Será que entendem que há toda uma geração de professores(zecos) que, de forma mais pou menos assumida, só tem vontade de vos mandar à [pi-pi-pi].

O ano em que a escola se reinventou

(…)

Termina, esta semana, o ano letivo mais dramático das últimas décadas, devido à pandemia que se espalhou por todo o mundo. É, portanto, tempo de fazer um balanço, em termos educativos, que nos ajude a preparar os próximos passos. Mas um balanço que entenda que a Educação ocorre no quadro da vida de uma comunidade e num horizonte temporal amplo, sem se compadecer com juízos especulativos, simplistas ou imediatistas.

(…)

Outra questão que esta circunstância demonstrou é que o já previsto Plano para a Transição Digital, um dos pilares do Programa do XXII Governo, constitui uma prioridade, também na Educação. Para isso, é necessária uma intervenção integrada, a par de soluções organizacionais, orientações pedagógicas e formação de professores.

Alcatrao2

Prognósticos Só No Final Do Jogo

Há uns dias era uma senhora importante da Unesco a afirmar que a situação do ensino a distância tinha agravado desigualdades. Bonito era ter dito isso há 3 meses quando se poderia ter tentado fazer outra coisa que, em tantos casos, fingir que se estava a fazer algo de jeito. Quando se poderia ter passado o tempo a montar uma estrutura a sério e a sinalizar os casos de maior fragilidade de acesso a meios tecnológicos e a mobilizar meios que, de modo sustentável, pudessem servir para se ter uma rede (global, nacional, local) a funcionar de forma sustentável e socialmente vagamente justa.

Mas… em Setembro logo se vê o “cenário” a escolher.

puppet

(por cá, é ver muita mal disfarçada inflexão de rumo em cortesã(o)s com escasso decoro e muita disponibilidade para dizer sempre que sim a “soluções” e “desafios”)