Não Deixa De Ser Curiosa

Uma medida interessante, embora a 15 de Outubro, já seja um bocadito tarde. Resta agora saber o peso dos “objectores de consciência”, entre professores e encarregados de educação.

Alunos do 3º ciclo e do secundário, bem como os professores, serão testados no início do próximo ano letivo

Medida prevê a deteção de eventuais infeções em alunos, professores e pessoal não docente, “independentemente do seu estado vacinal”

(…)

• Fase 1: Pessoal Docente e Não Docente – 6 a 17 de setembro

• Fase 2: Alunos do ensino secundário – 20 de setembro a 01 de outubro

• Fase 3: Alunos do 3.º ciclo – 4 a 15 de outubro

Só Ao Vírus Da Temporada?

Porque há por aí outras pandemias bem maradas. Não tanto físicas, digamos que mais “espirituais”…

Professores vão ser testados à covid-19 antes do início do ano letivo

Entretanto, já comecei uma pequeno trabalho, não digo de limpeza de opiniões contrárias, mas mais de parvoíce pura e dura disfarçada de defesa trôpega das “liberdades”. Sobre tanta outra coisa, não lhes leio ou vejo fazer nada, mas ai, credosssss, a máscara faz-me mal e a pica é uma conspiração global das farmacêuticas e tal… e muita desta gente é daquela que quando lhes falam de alguma coisa relacionada com os grupos de Bildeberg ou Davos ou sobre a forma como os princípios do neoliberalismo no sentido de uma Economia Low Cost desregulada limitam materialmente a liberdade individual e colectiva, começam logo a espernear que é tudo paranóia. Há pouca coisa mais perversamente divertida do que ver estirpes de relativistas de ocasião, cheguistas e trumpistas, a defender as “liberdades cívicas” que querem limitar a grandes parcelas da população.

Não @s mando tratarem-se, porque já sei que não querem.

A Sério?

Já agora… os serviços na zona da ARSLVT estão completamente submersos e a não dar resposta em tempo útil, tanto com códigos para fazer testes como, em especial, com as declarações de isolamento profilático.

E não queria deixar de referir o óbvio. Há um conjunto de gente (de políticos no topo da hierarquia do Estado a especialistas instantâneos em conspirações e liberdades em tempos de pandemia) que só se ficaria a ganhar se ficassem calados de vez em quando. Os primeiros, em vez de falarem reactivamente, deveriam ser capazes de prever as coisas e agir em conformidade; os segundos, pensando bem, mais valia ficarem mesmo ocupados com qualquer coisa como limpar os ouvidos com os cotovelos ou fazer rendas de bilros.

Portugal teve o valor mais alto de infecções diárias desde Fevereiro com mais de 2000 casos num dia – a maior parte na região de Lisboa e Vale do Tejo. OMS preocupada com uma “nova onda” da pandemia na Europa. Para alcançar a ambicionada imunidade de grupo, vamos ter de vacinar crianças e adolescentes, defendem especialistas.

O Que (Ainda) Está A Correr Mal?

Imaginemos uma turma que está em casa desde 5ª feira passada porque o DT toou essa decisão na sequência de um caso positivo confirmado na 4ª feira. O contacto de alguém das autoridades de saúde – simpático, diga-se desde já – só chegou a meio da manhã de 6ª feira, validando a decisão tomada na véspera. E foram prometidos os códigos para os testes para alunos e professores, assim como as declarações de isolamento profilático. Por razões que só quem anda no terreno sabe, há alunos que não têm meios para receber nada disso no telemóvel ou por mail, porque a “transição digital” continua uma treta, pelo que o DT é que fica responsável pela recepção e transmissão dessas informações. Que, num caso, chegou apenas hoje em duplicado (às 16.43 e 19.23), com a indicação de ser “Emitida automaticamente pelo Sistema informático implementado na ARSLVT”.

Belo sistema informático, que reage com todo este atraso. Ou então são os meios humanos que estão a faltar porque, para variar, ninguém previu esta nova vaga de casos positivos.

Que andam pelas escolas, por muito que o economista Conraria se amofine no esplendor da sua esmerada educação bostoniana. Afinal, as “redes sociais” são o aquilo que alguns burgessos (mesmo que muito diplomados) fazem delas.