Lá Por Fora

The coronavirus thrives off of complacent leaders, such as Prime Minister Narendra Modi—and has exacerbated the contours of global inequality.

A raging outbreak in Brazil threatens gains against the virus.

Não Tem Resultado Muito

Porque tudo continua como dantes: as regras são conforme os humores ou inclinações d@ excelentíssimo@ senhor@ delegad@ de saúde. Nuns sítios, um par de casos positivos manda toda a gente para casa (alunos e professores), enquanto em outros vão apenas os alunos ou mesmo apenas alguns deles. A aplicação das regras da DGS fazem lembrar as leis do Antigo Regime e os horários dos comboios na margem sul nos anos 80: são meras indicações para dar a ilusão de qualquer coisa.

A notícia já tem uma semana.

A DGS reforçou junto das escolas e delegados de saúde as medidas de vigilância sobre a circulação de novas variantes de covid-19 e a deteção de surtos nas escolas, que incluem a suspensão de atividades.

Pelo Contrário

Muita gente anda a elogiar a coragem do depoimento de Daniel Sampaio ao Expresso. Eu até concordo que é um testemunho importante. Porque admite a displicência com que encarou a ameaça. Como muita outra gente. Apesar de ser uma pessoa com uma formação e conhecimentos na matéria muito acima da média. Displicência que me incomoda menos pelas consequências que pode ter nos próprios do que pelas que pode provocar nos outros. Em especial, quando é da estirpe aristocrática.

Mas Não Digam Nada Aos Cartistas

Ministra da Saúde salienta que, embora se tenha registado nos últimos dias uma diminuição dos casos de infecção e das mortes por covid-19 em Portugal, a situação não é ainda ideal e remete mais esclarecimentos sobre a reabertura das escolas para 11 de Março.

E esta parte não digam ao Tiago, mesmo se acho muito especulativa, se não ele entra em colapso. Entretanto, será que esta medida fará voltar o Mário às aulas, ou o gabinete é à prova de vírus?

Marta Temido assumiu, na entrevista desta terça-feira, que o Governo está a ponderar incluir os professores no grupo prioritário de vacinas. “É uma hipótese que está a ser analisada. Não só em Portugal como noutros países”, revelou a responsável. “Quando olhamos à nossa volta e vemos os processos de desconfinamento vemos duas novas medidas: a vacinação e a testagem. Poderá fazer sentido que os adultos que trabalhem nesses locais [escolas] possam ser alvo de uma vacinação diferenciada, como fizemos com outros locais”. 

Cansativo

O Expresso volta à carga e manda saber que “ninguém fecha tanto as escolas quanto Portugal”. E faz uma lista de países e tempos de encerramento, destacando os que nunca abandonaram o ensino presencial ou os que a ele já voltaram. De forma quase envergonhada, lá se confessa que fomos os que tivemos a maior incidência de covid no início de 2021, mas quase como se isso não fosse razão mais do que suficiente. O que fica também por analisar com detalhe? O que os outros países fizeram no contexto da reabertura das escolas. Na Alemanha, por exemplo, a testagem em massa arrancou há três meses em algumas regiões. Em França, a testagem em massa começou em Janeiro. A Eslováquia, um dos países que também foi muito atingido pela segunda vaga pandémica logo em Outubro, testou em massa a sua população. A Áustria seguiu o seu exemplo. A Irlanda publica semanalmente relatórios dos seus testes nas escolas. Há muito mais exemplos de boas práticas que não ficam apenas por proclamações políticas e pressões mediáticas.

Querem a reabertura das escolas? Dois conselhos: passem à acção (governantes) e informem melhor (certo jornalismo mais opinativo do que outra coisa).

Eu Entendo, Nós Entendemos, A Maioria Dos Portugueses Entende, Mas Há Uma “Bolha” De Notáveis Que Desentende

Abrir as escolas com um Rt de 0,98 “ é mais do que imprudência, é quase procurar problemas sérios”

E é bom que se perceba que o “faseamento” ou desconfinamento “por concelhos” deve ter em atenção fenómenos de proximidade e mobilidade intermunicipal. Porque aqui em casa ninguém trabalha no concelho de residência.

Prudência Atrasada

Já temos o Rt mais baixo da Europa de acordo com os especialistas reunidos no Infarmed com os artistas da política caseira. Apesar disso, agora já se diz que é preciso consolidar esta situação e que não se deve pensar em desconfinamento até à 2ª quinzena de Março. Que pena este tipo de atitude não ter acontecido logo no início de Janeiro.

Quanto a termos imunidade de grupo lá por Agosto, permitam-me que tenha as minhas reservas de leigo desinformado.