Pode Aplicar-se Aos Professores?

Costa atribui subsídio de alojamento ao ministro da Educação

Com efeitos retroativos à data da tomada de posse, Tiago Brandão Rodrigues passa a receber um montante adicional diário de 25 euros porque a residência permanente dista mais de 150 quilómetros de Lisboa.

Falhou o plano A…

Agora em tele-trabalho é mais ou menos complicado?

TiagoCartoon

E O Secretário Apareceu!

Na RTP1. O jovem da DGS falou bem, com o tom de emoção q,b. O SE Costa revelou a sua preocupação com as refeições. Eu bem digo que a Escola Pública passou a ter uma função prioritariamente assistencial. Há agora, avaliando pela volumetria, acho que é uma prioridade que partilhamos. O que poderá ajudar certos cortesãos muito saudáveis e esbeltos a deixarem de me chatear sempre que gozo com certos temas.

Já o ministro Tiago, deve estar a fazer Chiência, algures. A secretária de Estado, que é da administração escolar, da municipalização e tudo, continua a fazer estágio ou então está de quarentena.

IMG_2584

 

Ainda Bem Que O Negociador-Mor A Acha “Afável”…

… conforme declarações relativamente recentes ao Expresso. Uns anos antes tinha-o lido a elogiar o ministro que depois “desamigou”. No caso da ministra Leitão, parece que o a História só se pode reescrever se não for na totalidade. Não pode ser “completamente”. Apaga-se, por exemplo, o máriojamé  ou o paulodoscampos, mas ainda se ia deixando ficar o vitalino e o engenheiro não se deixa rescrever.

“É impossível reescrever completamente a história”, disse esta terça-feira a governante aos deputados, em audição pública. “Recuperar dez anos de perda de poder de compra é algo que não sei se é sequer possível”, considerou quando questionada sobre que propostas de compensação para os funcionários públicos o governo estará disposto a ponderar num ano em que o aumento para a generalidade dos trabalhadores fica limitado a 0,3%, com referência à inflação do ano passado.

Por 10 anos, subentende-se que 6 são de governos PS, certo?

Leitão

E Quanto A Votos?

Sondagem: Joacine e Ventura são os políticos menos confiáveis

A desconfiança em relação aos políticos é conhecida mas uma sondagem da Intercampus vem mostrar que é especialmente elevada face aos novos protagonistas políticos. Catarina Martins e Jerónimo de Sousa são os que saem menos mal da fotografia.

Mas depois quem ganha são os outros. E os de quem se desconfia até podem estar em alta nos seus nichos muito particulares.

sondas_anal_dimensoes

Quem Sou Eu Para Discordar Dos Camaradas Dele?

E atenção que o texto sobre a sucessão na CGTP (de há dois dias, mas só hoje tive a possibilidade de lhe aceder na íntegra) é o do José Pedro Castanheira, que está muito longe de ser um perigoso infiltrado da Direita.

Pub24Fev20

Público, 24 de Fevereiro de 2020, p. 21

Se a análise interna corresponde, em grande parte, ao que penso e escrevo há muito tempo, apenas posso congratular-me e elogiar a lucidez do PCP na análise, embora não tenha, infelizmente, agido em conformidade em devido tempo. Porque assim, continuamos com o responsável por erros graves como “grande timoneiro”. E como o próprio parece incapaz de algum decoro mínimo (como aquela de dizer que gostava muito de voltar a dar aulas, quando sabemos que antes quereria a peste bubónica), vamos ter de gramar isto até às calendas gregas.

(Muitas) Palavras Para Quê?

Como não concordo com ele, centro-me por vezes em pessoas não propriamente por me importarem, mas porque têm poder para interferir na minha vida profissional e, indirectamente, por condicionarem as minhas opções pessoais. Até pela forma como foi usado para embolsar os sindicatos durante quase três anos (um belo bluff), o ministro Tiago merece-me a atenção q.b. para que a sua prosápia não passe impune. Já agora, pisca-pisca e poker face descombinam.

TiagoPoker

E Agora, Um Cérebro Mitigado Em Todo O Seu Esplendor Natural

Este homem é governante e é, cumulativamente, um avançado mental que tem uma visão inovadora da fauna do estuário do Tejo.

Vejamos a passagem mais antológica de todas e que eu acho ao nível do mais sublime que a “Ciência Política” produziu entre nós.

Não há aeroportos sem impactos. Os caranguejos podem ser lentos, mas não estão em extinção. É um impacto não mitigável. Mas os pássaros não são estúpidos e é provável que se adaptem. E este postulado arriscado é tão cientificamente sólido como o seu contrário: o de que eles não vão encontrar outras rotas migratórias, outras paragens estalajadeiras, como no Mouchão. Ciência sem dados comprovados não é ciência.

E onde alcançou tamanha sabedoria científica contrafactual o senhor secretário de um Estado que se devia envergonhar de lhe dar emprego?

É só escolher, porque a sua vida é uma corropio de lugares ligados à investigação científica e, quiçá, à epistemologia do conhecimento.

Fica um naco significativo do seu aviário, desculpem, currículo:

É licenciado em Direito (pré-Bolonha) pela Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra (Ciências Jurídico-Económicas) em 1981.

Pós-graduado em Direito Europeu pela ULB – Universidade Livre de Bruxelas (1983).

Pós-graduado em Ciências Jurídicas pela Faculdade de Direito da Universidade Clássica de Lisboa (1985).

Mestre em Ciências Jurídicas (Pré-Bolonha) – Direito Europeu, pela Faculdade de Direito da Universidade Clássica de Lisboa (1993).

Integrou a direção dos assuntos jurídicos da Caixa Geral de Depósitos entre 1984 e 1991.

Integrou o Departamento jurídico do Banco Europeu de Investimento de 1991 a 1998.

Foi Presidente da Câmara Municipal de Aveiro entre 1998 e 2005, tendo ainda presidido ao consórcio «Aveiro-Cidade Digital» e à AMRIA – Associação de Municípios da Ria entre 1998 e 2001 e integrado o Conselho de Administração da «Aveiro Pólis, SA», entre 2001 e 2005.

Foi vice-presidente da ANACOM – Autoridade Nacional das Comunicações entre 2006 e 2012.

Foi «Data Protection Officer» do Banco Europeu de Investimento entre 2012 e 2017.

Foi vogal não executivo do Conselho de Administração da Caixa Geral de Depósitos, presidente da Comissão de Governo da Caixa Geral de Depósitos, membro da Comissão de Auditoria e Controlo Interno da Caixa Geral de Depósitos, membro da Comissão de Nomeações, Avaliações e Remunerações da Caixa Geral de Depósitos, presidente do Conselho de Administração da Fundiestamo e administrador sem funções executivas da Fundação Eng. António Pascoal até fevereiro de 2019.

funny-quotes-stupid-people