A “Culpa” É Sempre Dos Mesmos

De uma reposta de um chefe de equipa da DGEstE:

Se as medidas mobilizadas não estão a ser eficazes para o sucesso do aluno é porque não se adequam às suas dificuldades e não o inverso. Nesta perspetiva não faz sendo manter procedimentos que se revelam ineficazes e que vão conduzir ao insucesso do aluno.

Concordo que nada disto faz grande “sentido”. É bem verdade que parecemos ter entrado num período de aceleração na idiotice presumida. Talvez seja útil, por isso, já que temos tantos sabedores a colocarem-se quase diariamente debaixo do guarda-chuva de António Nóvoa, sacar de uma sua citação que estava há dias no Eduprofs. Até fala em Dewey e tudo, pelo que me admira que esses tais sabedores nunca a usem, preferindo sempre culpar os professores por tudo, a começar pela sacrossanta “falta de formação” nisto ou aquilo que andam a vender.

Resumindo, Concluindo E Baralhando

É noticiado que a Câmara de Setúbal tem no atendimento aos refugiados ucranianos um russo com ligações ao Kremlin. Pelos vistos, eram ele a mulher que tratavam das papeladas de quem chegava, fazendo cópias e inquirindo informações. A autarquia desmente qualquer tipo de aleivosia, mas afasta o funcionário. É só a mim que isto soa a uma variante de merdinice? Ou é tudo uma conspiração da Nato contra o PCP, como já pude ler nas belas “redes sociais”, a partir do teclado de pessoas que até há bem pouco em considerava relativamente sãs de espírito, divergências ideológicas à parte?

O Momento Humorístico Do Fim De Semana

Então se for um “pensamento computacional” à maneira do E360, mais vale ficarmos pela pedra lascada.

Se nem conseguem ter professores de TIC… a menos a Matemática se torne um albergue castelhano da transversalidades, a avaliar por quem está na origem destas coisas. Pior mesmo, só criarem mais uma disciplina com 45-50 minutos semanais.

É a “novidade curricular” das novas Aprendizagens Essenciais que entrarão em vigor no próximo ano. Programa responde ao lapso identificado num estudo da OCDE: temas do século XXI continuam a ser ignorados nos currículos de Matemática para o básico.

Até Que Ponto Se Pode Estar Desligado Da Realidade

Um dos principais cortesãos do actual regime insurgia-se ontem no fbook com alguém que publicava a memória desta manifestação de 26 de Janeiro de 2013 contra Nuno Crato, como se fosse a convocatória para uma manifestação para 2022, considerando-a inadequada a 4 dias das eleições. Eu sei que a malta anda confusa – e muitos ainda se lembrarão daquela santanice (mau… já me lembrei hoje duas vezes do Santana) de ter confundido o postal do lançamento de um livro com uma ameaça pessoal – mas há quem ande mesmo com algum receio de ver excluído do futuro ME o seu particular feudo inclusivo.

O Flop Mediático Do Ano

A alegada “CNN” Portugal é algo que ultrapassa a desilusão, para se ficar pelo mero golpe de publicidade com base numa “marca”. Começou com a selecção de marretas nos comentadores (os do costume, mais umas tias idas buscar ao baú do grupo de Balsemão) e continua com a forma como tudo é apresentado, desconchavado, sem um “olhar” próprio que não seja a vã tentativa de combater as audiências da CMTV.

Só isso explica que tenha desenterrado o “rosto novo” do Marinho Pinto para comentar o caso Rendeiro. O homem é o que é e não se pode esperar grande coisa de diferente, pelo que a escolha não pode ser inocente ou ingénua. Há bocado, desplantava-se o comentador que achava mal o “afã de Portugal” em fazer Rendeiro regressar a Portugal porque, na sua opinião pessoas como “o doutor Rendeiro” deviam fugir de Portugal, que ele acha que assim o país ficaria melhor. Eu percebo que ele tenha o chip de advogado de defesa e aquilo dispare em qualquer situação, mas há limites para a falta de senso. portanto, Um tipo comete crimes pelos quais é julgado, transitando em julgado a sua prisão efectiva (o que entre nós é o que se acha mais perto de um milagre natalício) e o comentador da “CNN” Portugal para o tema acha que ainda bem que fugiu e que deve ficar longe e as autoridades portuguesas nada devem fazer para que regresse e cumpra a pena. E como ele, quaisquer outros, só não percebendo se este ex-muita coisa estende a sua apreciação a todo o tipo de criminosos condenados se apenas aos endinheirados.

Até a dupla de pivôs ficou engasgada e, quando eu já estava a zarpar dali para fora, a tentar dar alguma seriedade à palhaçada.

(imagem sacada à página “Biblia mt engrasada”)

Não É Tudo Mau, Mas…

… acho que deveria ser feita uma espécie de PACC para acesso a algumas estruturas internas da gestão escolar. Por defeito de ocupação recente, estou a pensar nas SADD, recrutada de modo nem sempre claro num CP que, em tantos casos, é uma emanação das vontades de director@s que quase tudo acumulam. Ler um documento em que uma SADD escreve, preto no branco, que não tem de justificar qualquer avaliação, já quase não me espanta.

Sondagem “Científica”

Após a tarefa designada estar cumprida, 19 petizes em 9 computadores (os outros três estão incapacitados desde o início das aulas por maleitas diversas, incluindo aquela em que o bicho apita e parece que vai explodir) tiveram direito a fazer o que bem entendiam numa concepção absolutamente integrada no espirito inovador do desenvolvimento integral, holístico e livre dos indivíduos.

(calma, que a turma tem 27, não são só 19; o resto estava na sala defronte a fazer os auto-retratos analógicos em atraso… é a vantagem da ubiquidade e conseguir estar em duas salas ao mesmo tempo, não me perguntem como… há mais quem desconfie deste modo de coadjuvação ao contrário e fique a olhar à distância de modo mal disfarçado)

Resultado: 3 computadores usados, principalmente por rapazes, para ver vídeos no iutubi (música, excerto da série squid game e qualquer coisa com quedas); 2 em que se exploravam os poucos jogos que escapam ao filtro do Mé; 2 para algumas meninas verem aquelas micro-danças no tiquitoque em que outras meninas mexem os braços e pouco mais em micro-coreografias e 2 para verem imagens escanifobéticas no pinterest. Não sei se dá para fazer um case-study e publicar no Academia.edu, se faça 4 versões em diferentes linguajares para registar na Scopus, na Latindex ou na B-on.

Aprende-se muito nestas meias horas de liberdade acerca das novas gerações para quem os berlindes, a bisca lambida, a macaca ou os matrecos nem chegam a ser memórias do passado.