Autonomia Para Quem?

Discordo, por exemplo, daquela ideia de poderem contratar 25-30% do corpo docente, porque se qualquer professor”zeco” tem a obrigação de motivar os 100-150-200 alunos que lhe entram pela porta dentro, também @s ilustres senhor@s director@s deverão mostrar o que valem com o material humano de que dispõem.

Quanto à “autonomia” perdida para o poder local, têm algo a dizer?

O presidente da Associação Nacional de Dirigentes Escolares (ANDE) pediu hoje coragem ao ministro da Educação para renovar a escola pública e devolver-lhe “alguma da autonomia perdida”.

Burnout

Aos(Às) Camaradas, Colegas (?), Senhor@s Director@s (E Cargos Afins, Mesmo Que Menores Na Cadeia Alimentar)…

… que acham que trabalham mais do que os professores “lectivos” e que são uns escravos da função, deixo-vos dois pensamentos, sublinhando que até há quem possa ter a sua razão:

  • Ninguém vos obrigou a irem para esse(s) cargo(s). Pelo que sei da lei, é preciso candidatarem-se e, consta-me, são poucos os que não se recandidatam ou não pedem recondução. E nos que são por nomeação, é porque aceitaram.
  • Se acham mesmo que é injusto o que se passa convosco e que vida boa e descansada é dos “lectivos”, nada vos impede de pedirem a demissão e voltarem a dar aulas. Descansem que o mundo não acabará e não será o caos no dia seguinte. Há uma série de gente mesmo importante que faleceu e a Humanidade continuou.

A todos os outros que desempenham a sua função com dedicação e sentido ético, desculpem-me pelo desabafo, pois não se vos aplica. Aplica-se apenas a quem não dá quaisquer aulas e parece achar que essa é, numa escola, função de esforço e responsabilidade menor. E a quem diz que os professores “lectivos” não podem apenas estar preocupados com a remuneração, mas depois não “deslargam” da sua e ainda querem mais.

Sim, entre 2021 e 2025 irão existir muitos lugares a vagar e ocupar e é possível que @s “nov@s” candidat@s (quiçá já em alguma posição estratégica para serem promovid@s) estejam ainda atrapalhad@s a meio da carreira e queiram ver se conseguem melhorar a sua condição. Mas isto é apenas um suponhamos…

Muit’agradecido pela atenção e disponibilidade.

Bigorna

Eram 10.04

Quando o Filinto Lima disse uma frase profundamente infeliz na RTP3. Foi a seguinte:

O ministério tinha de dizer aos seus directores o que fazer.

À qual se seguiu, pouco tempo depois outra mais ou menos assim:

Os directores vão recuperar o tempo perdido.

O que se pode dizer acerca disto? Confissão de subserviência para com o poder hierárquico (o ministério e os “seus” directores), mas depois a prosápia de quem vai resolver tudo por si só.

Esperava melhor.

E eu nem sou dos grevistas ad eternum.

IMG_8785

 

É Nesta Altura Que a ANDE e a ANDAEP Têm Uma Excelente Oportunidade…

… para tomarem posição acerca da ilegalidade que a DGEstE está a sugerir aos directores, porque é de uma ilegalidade evidente que se trata. Não sei se o Conselho de Escolas se reúne acerca destas coisas ou se tem, sequer, tempo, mas também gostava de saber se apoiam o estrito cumprimento da Lei ou deste tipo de “notas” a fazer recordar os tempos do gualter.

É nestas alturas que precisamos de saber se…

Tomates