Lá Por Fora

The COVID-19 pandemic prompted unprecedented, rapid changes in the way states collect, report, and share education data internally, according to a report from the Education Commission of the States. 

Many states began gathering new or more up-to-date information on student attendance, whether students were learning online, student access to technology, and other topics. 

Some of that information made it into newly created public dashboards. Pandemic relief funding also allowed states to update their data infrastructure, with some states planning to spend millions on new systems. 

Domingo

Fim de semana de Rock in Rio, com o regresso da “normalidade”: “Portugal registou, entre 7 e 13 junho, 114.410 infeções pelo coronavírus SARS-CoV-2, 256 mortes associadas à covid-19 e uma diminuição dos internamentos em enfermaria e cuidados intensivos, indicou hoje a Direção-Geral da Saúde (DGS)”. Estes números correspondem, curiosamente, a uma descida em relação à semana anterior. Como já escrevi… é apenas mais uma gripe de Verão, devendo dar os parabéns a quem conseguiu apagar por completo a pandemia dos destaques noticiosos. Afinal, são apenas 35-40 mortos por dia desde o início do mês… gente que morreria de qualquer forma, usemos a preposição “de” ou a preposição “com”. Era gente velha e fraca que só distorcia a pirâmide etária, agora que até está a ser difícil haver partos. A peste grisalha haveria de as pagar.

Isso Agora Não Interessa Nada!

Desmancha-prazeres! Afinal, acabámos de reconquistar a “liberdade”!

Já sei, não é motivo para alarme, pois parece que só morrem os mais velhinhos, que morriam de qualquer modo, certo? Pensando bem, no fundo teremos todos de morrer, não?

Covid-19. R(t) sobe para 1,02 em Portugal. Número diário de casos está a aumentar

Mas Não Foi Sempre Assim?

Então porque andaram a vender o “contágio zero”? Ainda em final de 2021, continuavam com essa teoria da treta, com a propaganda bem oleada e ancorada na comunicação social onde as opiniões divergentes iam para alista de espera.

A população escolar tem uma “grande proteção imunitária”, mas Graça Freitas alerta que há ainda uma grande parte que é “suscetível” ao vírus, sendo que as crianças são vetores de transmissão aos vulneráveis.

A máscara pode ser uma barreira, reconhece Graça Freitas, mas “retirar essa barreira é um risco ainda grande com a transmissibilidade neste momento”.

E é evidente que por “população escolar” se entende os alunos, que pessoal docente e não docente é para arder, que nem devem fazer cinzas.

Os Actores Do Costume

Não me levem a mal, mas esqueci-me da última vez em que uns foram a eleições (num dos sites a lista para a última eleição é a do biénio 2014/16) e nem sei se outros têm sequer educandos no ensino não-superior, mas isso agora não interessa nada, certo?

E há quanto tempo não entram numa sala de aula, como professores regulares ou outra coisa, durante mais do que vistas vip?

Pais dizem que “manter esta medida não é muito compreensível face à situação” actual. Dirigentes escolares esperam que levantamento da restrição esteja para breve, uma vez que é um factor “limitador” no processo de aprendizagem.