Quantos Têm Dias Assim No Escritório?

Não falo de professor@s, falo da malta da conversa de café, de indignações em redes sociais e de dedo leve no teclado em queixumes e exigências.

Já sei que muita gente instalada no sistema dirá que são casos isolados e que o que falta é “formação” aos docentes para lidar com este tipo de ocorrências.

“Os professores têm muito medo, tanto que estes alunos entram nas salas, gritam e só um ou outro os manda embora”. O testemunho de um aluno ao i.

A Triste Banalização

Entretanto, há quem ande muito mais preocupado com a “literacia financeira” como solução para uma sociedade mais inclusiva e menos desigual. Seria piada e não viesse do sobredotado Centeno de Harvard y Eurogrupo.

Encarregada de educação terá pedido para falar por causa de alguns cromos que tinham sido tirados ao menino.

“Eu quero ir embora”: novo caso de bullying, aluna agride colega em escola de Faro. Foi tudo filmado

A Sério?

Já pensaram que os rankings também podem ser vistos de baixo para cima?

“A diferença da escola pública para a privada é que um privado mau dura pouco”

Nos resultados mais recentes do Público, atendendo ao universo total de escolas, parece-me que as privadas estão proporcionalmente mais representadas na base da lista do que as públicas.

Há mitos úteis. E gente muito ignorante ou apenas desonesta.

Seria Muito Demorado Fazer Uma Nota Técnica?

Foi divulgado um relatório sobre O Estado da Tecnologia na Educação – 2020/21. Eu percebo que o documento que se manda para a comunicação social aposte muito nos grafismos atractivos e nos valores redondos para simplificar a mensagem. Mas existem algumas exigências “técnicas” que deveriam ser respeitadas mesmo em casos destes. Por exemplo… o número de inquiridos e a sua caracterização de forma clara. Não é que isso signifique uma alteração nas conclusões, mas um tipo fica todo baralhado quando tenta saber quem (ou quantos de cada parcela da amostra) respondeu exactamente o quê. Porque não se percebe o que são “outros representantes educativos” ou quantos deles foram inquiridos. E se esses estão incluídos nas “mais de 2580 respostas”, os números depois não batem muito certo, porque se somarmos as parcelas para os ciclos de escolaridade identificados, chegamos a um valor de 2690 respostas, teoricamente só de professores, muito acima dos 2137 referidos mesmo acima na mesma página. E incluem os directores nos professores ou não?

Isto para não falar na ausência de respostas do 1º ciclo e pré-escolar. Ou do que foi exactamente perguntado. E como foram as respostas por ciclo de escolaridade e “estatuto” (professor, director ou “outro representante educativo”).

Acredito que exista o “estudo” base onde todos esses dados estejam, mas nesta espécie de brochura, algo ficou claramente por fazer. e a “tecnologia” até podia ter ajudado.

Os Actores Do Costume

Não me levem a mal, mas esqueci-me da última vez em que uns foram a eleições (num dos sites a lista para a última eleição é a do biénio 2014/16) e nem sei se outros têm sequer educandos no ensino não-superior, mas isso agora não interessa nada, certo?

E há quanto tempo não entram numa sala de aula, como professores regulares ou outra coisa, durante mais do que vistas vip?

Pais dizem que “manter esta medida não é muito compreensível face à situação” actual. Dirigentes escolares esperam que levantamento da restrição esteja para breve, uma vez que é um factor “limitador” no processo de aprendizagem.

Acordaram Tarde!

Como fora dos debates se assinalou a sua ausência, agora toda a gente já quer falar de Educação, a maior parte das vezes de forma oportunista ou mesmo sem ponta por onde se lhe pegue em termos de conteúdo ou novidade. Pura cacofonia, a ver se dá votos ou atenção.

Ao mesmo tempo, parece que descobriram (há pouco na RTP3, era a vez de Carlos Antunes) que a abertura das escolas aumentou brutalmente o número de contágios até aos 11 anos e que isso, com alguns dias de desfasamento, se estendeu à faixa etária dos pais dessas crianças, como se fosse algo inesperado ou imprevisível.

Os idiotas úteis do regime devem estar felizes, porque cumpriram a missão de forçar a abertura das escolas. Assim como os defensores do “isto é apenas mais uma gripe e se não for é apenas imaginação”.