Karma Is A Bitch

Junho de 2011:

O eurodeputado Rui Tavares anunciou que passou à condição de independente integrado no grupo dos Verdes europeus, depois de Francisco Louçã não lhe ter pedido desculpas.

Janeiro de 2020:

Joacine Katar Moreira exaltou-se no Congresso do Livre, que discute a confiança política da deputada. Joacine garante que não vai renunciar ao cargo no Parlamento. E diz que lamenta informar que tenham elegido uma mulher que gagueja, que é negra e foi útilpara a subvenção.

Karma

Greve A 31 De Janeiro?

Mas o PCP e o Bloco não viabilizaram o Orçamento sem especiais (nenhumas) condições e referências relativas ao pessoal docente?

É a luta? Pura e dura? Que nos vai levar a novas e gloriosas “conquistas” como as dos últimos 4 anos?

Bora lá lavar a consciência!

Agora sim, damos a volta a isto
Agora sim, há pernas para andar
Agora sim, eu sinto o optimismo
Vamos em frente, ninguém nos vai parar

peoes.jpeg

5ª Feira

Eu ainda me lembro do que se passou entre finais dos anos 90 do “velho” século XX e o início do famigerado século XXI. Ainda me lembro da sequência dos factos, das teses dominantes, dos seus efeitos, do que provocou imensas queixas entre os docentes e degradou o quotidiano escolar, com o aumento da indisciplina e a desorientação instalada. Passaram 15-20 anos e muita gente parece desmemoriada ou então decidiu alinhar na nova cavalgada daquela junção pouco recomendável entre laxismo avaliativo (porque avaliar é mau!), muita teorização pedagógica das transversalidades e flexibilidades, fragmentação curricular e desresponsabilização disciplinar. Há quem se tenha esquecido do benaventismo e daquele estatuto do aluno de 98 que tanto desajudou, ao mesmo tempo que se queria gerir flexivelmente o currículo e se desvalorizava o papel do professor enquanto detentor de um saber que não fosse “comunicacional” e pronto para o século XXI. Eu ainda me lembro disso tudo e lembro-me, apesar da diferença de meios, do clima de “alarme” mediático em torno de diversos episódios e lembro-me de, num debate televisivo (RTP1), um@ governante considerar como pouco grave se um aluno cuspisse num professor.

Serei o único a, mesmo não acreditando no eterno retorno da História, ver com clareza os sinais de um processo semelhante com o costismo? Com o problema de estarmos 15-20 anos mais velhos e ainda sermos tidos como culpados por termos envelhecido?

memoria

4ª Feira

Depois das promessas, o que esteve escondido até 6 de Outubro, pois “em vez do excedente nas contas públicas que projectava há seis meses, agora espera, no cenário base antes da introdução de novas medidas, um saldo orçamental nulo em 2020, apontando para a existência de uma margem de manobra menor para as negociações do próximo Orçamento do Estado com os partidos à sua esquerda.”

spin

 

António Sérgio Em 1918

Há pois necessidade inadiavel de duplicar a produção do País, assegurando ao mesmo tempo um melhor equilíbrio das suas classes, uma mais justa distribuição dos encargos e beneficies, e actividades mais  concordes para o bem da comunidade.
Isto exige, imperativamente, transformações profundas e imediatas na estrutura social e na do Estado (onde tantíssimos elementos, e de vária espécie, concorrem para tolher e comprimir as saudaveis fôrças de produção, e agravar a voracidade do parasita a cada novo esfôrço do seu hóspede) e entre elas, em primeiro togar, a difusão do crédito, pondo-o ao alcance de todas as classes produtoras e operárias. De aí se desfiaria, ponto por ponto, uma série de medidas financeiras (reforma do Banco de Portugal e da Caixa Geral dos Deposites; desvio para as actividades produtoras dos capitais confiados aos estabelecimentos bancários do país, etc., etc.), a que se ligariam sistematicamente certas medidas de fomento (fornecimento de maquinismos, materias e garantias ás actividades agrícola, industrial e mineira; incitamento á exploração dos jazigos carboníferos e cursos de agua; desenvolvimento dos transportes e reforma dos contractos de serviços públicos, etc.), correspondentes reformas sociais (generalização da riqueza com maior justiça distributiva dentro dos princípios da propriedade; desenvolvimento do mutualismo, e outras) correlativas medidas pedagogicas (transformações nas escolas normais, no ensino primário, secundário e técnico; colaboração íntima da indústria e das escolas superiores, no sentido de estimular as iniciativas e as suas capacidades de criação ; adopção de novos metodos de ensino, e, finalmente, preparação social do professor, do padre, do medico de aldeia) porisso que cada uma dessas medidas não poderá atingir o seu pleno efeito sem o concurso convergente de todas as outras.  (Pela Grei, nº 1, p. 5)

Ouroboros

Umas Das Vantagens Do “Envelhecimento Docente”…

… deveria ser a presunção de que já sabemos o que lemos há 20 ou 30 anos e que nessa altura nos fizeram digerir à exaustão. Mas parece que o que se assume é que andamos já todos senis e que é preciso explicarem-nos novamente a diferença entre modalidades de avaliação de acordo com o paradigma das últimas décadas do século XX e entre avaliação interna e externa. Um tipo lê certas coisas e pensa estar de volta aos tempos da profissionalização ou de alguma cadeira do 1º ciclo de estudos bolonheses em Educação. Na prática, o que tais “especialistas” nos acabam por demonstrar é a magreza e fragilidade das suas próprias leituras e o monolitismo dos seus conceitos.

entropia

Vamos Fingir Que Estes Quatro Anos Não Existiram

Ouvi o camarada Jerónimo a apresentar as suas prioridades para as legislativas de Outubro e fiquei a pensar que em breve andarão a esconder que deram 4 anos de carta branca ao PS. Anoto que nas tais  prioridades, a Educação parece meio esquecidaE escolher o PAN como uma espécie de inimigo prioritário é algo parvo. Andaram quatro anos amarrados à ameaça de que se roessem a corda viria aí o papão da Direita e eles seriam responsabilizados nas urnas. Ora… nas autárquicas e europeias foram castigados exactamente pela razão inversa: a de parecer que um governo do PS sem apoio do PCP teria acabado por fazer mais ou menos o mesmo.

jeronimo