Só Em Junho-Julho Foram Cerca De 750.000 Euros (+ IVA) Para O E360…

… e ele continua uma lástima. E desde 2019 tem sido um sorvedouro de dinheiro. E não se deixem enganar pelos nomes das empresas porque, indo pelo NIF, vai quase tudo dar à Novabase. Só o “módulo” para as provas de aferição levou 280.000 euros.

(clicar na imagem para ler melhor)

E Isto É Numa Universidade Pública

Está online, não é segredo. Acredito que vai ter muit@s candidat@s, a fazer pela vidinha e pront@s para fazerem o modelo de add viver em todo o seu esplendor. Pena que, depois, muito pessoal saído destas formações tenha desenvolvido, muito em especial, as competências das peneiras e a da verborreia sem grande substância. Li uns comentários de um dos “promotores” da coisa no fbook e é do género “alguém tem de avaliar os colegas, para que possam progredir na carreira”.

Como forma de ganhar a vida parece-me deprimente, mas eu sou um estranho e arcaico professor de outras eras onde não se vendia fancaria tão cara.

(…)

O Assunto Merece Um Olhar Demorado

Porque há muito dinheiro em jogo, mas também há, por vezes, poupanças que só prejudicam os aluno

Governo e autarquias fizeram contratos num total de 200 milhões de euros em dois anos para refeições escolares. Este é o retrato de um negócio que envolve muito dinheiro, mas em que a precariedade e os baixos salários continuam a estar presentes.

Best Seller

Aquisição de 12.400 exemplares do livro “Educar em tempos de crise” para os alunos das Escolas do Ensino pré-Escolar e 1º ciclo pertencentes ao Município de Vila Nova de Gaia

Informação adicional interessante aqui, aqui, aqui ou aqui. Até porque são quase 130.000 euros mais IVA. Chama-se a isto apoio local ao empreendedorismo.

Até porque o livro se apresenta como destinado a pais e professores, mas é comprado alegadamente para distribuir a alunos do pré e 1º ciclo.

Mas Há Quem Ande Muito Incomodado Com Os Alegados 900 Milhões Para A Educação

E podem ter a certeza que estas grandes empresas não são das que têm prejuízos ou estiveram fechadas meses a fio. São os gulosos do costume que comem quase tudo o que de melhor aparece na mesa gerida por políticos em busca de lugares nessas mesmas grandes empresas ou em cargos derivados. Porque para os pequenitos ficam mil milhões, grande parte “comida” pelos “consultores” que as “ajudam” a obter os “apoios”.

Grandes empresas podem ir buscar €4 mil milhões ao Plano de Recuperação