Ainda Há Coisas Que Me Deixam (Quase) Sem Palavras

Eis as instruções para os velhos grunhos e neandertais receberem os “novos professores”. Só falta sugerirem uma formação em protocolo e boas maneiras à mesa.

De: Atendimento (DGEstE) <atendimento@dgeste.mec.pt>
Enviado: 21 de setembro de 2022 17:24
Assunto: Apoio a Novos Professores

Exmo(a). Senhor(a)

Diretor(a)/Presidente de CAP

Por indicação da Direção da DGE, reencaminha-se o anexo, sobre o assunto “Apoio a Novos Professores”.

Com os melhores cumprimentos,

João Gonçalves

Diretor-Geral da DGEstE

O Sonho De Estaline

Há por aí muita gente confortável com isso, no seu afã anti-Nato.Nunca pensei foi encontrar tantos entre actuais e reformados oficiais superiores das nossas Forças Armadas.

Medvedev. Objetivo russo é “Eurásia unida de Lisboa a Vladivostok”

(já sei… ele não disse isto…apenas que lhe apetecia sopa de lentilhas… os tradutores dos conspirativos, capitalistas, imperialistas e neoliberais media ocidentais é que falsificaram tão humilde desejo para o jantar do Dmitri)

Um Par De Coisas Que (Quase) Me Baralham

Afinal sempre era possível governar em duodécimos, mesmo com evidentes alterações na conjuntura económica. O que significa que, aprovado ou reprovado, parece que o OE22 não é essencial à vida da Nação.

Por outro lado, com todas as alterações que estamos a viver, aquela imagem do primeiro Costa de cópia do OE22 nas mãos no debate com o Rio, para além de todos os gozos gráficos da altura, tornou-se ainda mais anedótica, pois será forçoso um orçamento diferente.

Uma Questão De Liberdade?

Sim, podemos prescindir de regras básicas destinadas a travar contágios e a maioria sobreviverá. Morrerão os mais velhos e mais frágeis, mas isso até apurará a raça, desculpem, a Humanidade, certo? A sobrevivência dos mais fortes. A destruição criativa.

Sim, podemos prescindir de fechar escolas ou de mandar a miudagem para casa, para que os pais possam trabalhar em paz. Ou ficar em paz, em certos casos, porque há entre quem protesta muito, gente desocupada, que não se deve confundir com desempregada. Ou que até pode trabalhar em casa, mas estar com os miúdos o dia todo é uma chatice. Até podemos, contra o “pânico injustificado”, reservar informação e dar espaço aos boatos, podendo tudo acabar nisto.

Mas, depois, se as coisas correrem pelo pior a quem defende isso, acham que ficarão calados e não quererão apurar “responsabilidades”? Sim, porque muitos dos primeiros a clamar por “liberdade” contra a conspiração global das máscaras e do confinamento, serão dos primeiros a apontar o dedo. Aos outros.

Marcelo E Os Sete Anões

As presidenciais vão ser uma coisa gira de se ver.

O incumbente terá o apoio do PSD, CDS e do actual PM e de todos os que o seguem como se fosse o líder mais esclarecido das esquerdas presentes, passadas e futuras.

E depois há os outros.

  • Ana Gomes, a candidata para fingir que existe uma esquerda relevante no PS e lavar a consciência a quem, no PS, indo votar, não lhe apeteça plebiscitar o professor do Costa.
  • André Ventura, o candidato a pés juntos que tem uma cadelinha amorosa.
  • Marisa Matias, a candidata residente do Bloco.
  • O camarada do PCP que deve ter sido escolhido numa barraquinha da Festa do Avante.
  • O tipo da Iniciativa Liberal, que se chama Tiago qualquer coisa e vai ter os cartazes mais giros da campanha.
  • O camarada residente do MRPP, que ainda não se sabe quem é, para evitar um complot social-fascista-capitalista que o impeça de ir a votos.
  • Um outro qualquer, que ainda não sabemos, mas é indispensável para termos os 7 anões. Pode ser do PAN, pode ser do PUM… whatever.

Sobre Aquela Petição…

… acerca de Cidadania e Desenvolvimento, só quero ver se é tratada pelos serviços parlamentares (e excelentíssim@s parlamentares) com o mesmo tipo de displicência ou enfado que se dedicam a petições sem gente tão notável. Sobre a substância e verdadeiras motivações dos peticionários, a conversa fica para depois.

(o presidente da ANDE, nem sempre a pessoa mais imaginativa a falar, decidiu classificar a CD não como disciplina, mas como “um complexo disciplinar”; não percebo o que ele tem com a conhecida expressão “albergue espanhol”…)

Clandestinidades

A DGS não revela regras a seguir na Festa do Avante. Compreendo. Afinal, há o perigo da malta do chega (ou do pnr) conhecer-lhes os procedimentos na venda das jolas e dos trimoiços.

(fascismo nunca mais! mete uma tarja na tua foto numa rede social e torna-te um anti-fascista instantâneo… se o não fizeres ou criticares a “Festa” és um anti-comunista desde a escola primária)