Importa-se de Repetir?

Há gente que de tanto se esforçar em agradar ao chefe, faz figuras muito tristemente apressadas. Foi a 3 de Junho, quando acreditavam em “milagres” (que não aconteceram por terem fechado “postigos”).

Daqui a uma semana os portugueses comemorarão o Dia de Portugal. Tal como em outros períodos da nossa longa historia, há fortes motivos de orgulho nos portugueses”, sustentou Joana Sá Pereira. 

Segundo a deputada do PS, na resposta à pandemia de covid-19, por parte do Governo, não houve sorte.

“O vírus teve, eu diria, talvez o azar de encontrar pela frente um povo experimentado e um Governo capaz”, contrapôs. 

Se Um Professor, Só Por Ter Ausência Da Componente Lectiva Serve Para Fazer Rasteios Epidemiológicos…

… então gostava que arranjassem um qualquer advogado, fiscal das finanças, engenheiro de minas, contabilista, assessor de ministro ou de secretário de estado para darem aulas às turmas que continuam sem professor de Português, Inglês, TIC ou Geografia. Não interessa qual a disciplina porque em “estado de emergência” já vale tudo.

Pensando bem… acho que devem fazer primeiro uma “formação” em 3 módulos… um com a doutora ariana (flexibilidades e inanidades várias), outra com o professor rodrigues (inclusão e belo pensamento) e mais uma com o secretário costa (cidadanias, autonomias e outras pias).

Uma Ideia Vencedora

Convidar os encarregados de educação – à moda americana – a ir à escola falar sobre a sua profissão nos tempos de “furo” por falta de colocação de professores. Um interessante modo de reforçar os laços com a comunidade.

 

(e há quem, entre quem pensa nisto, se interrogue… o tipo está a ser sarcástico ou não?)

O Epílogo

Já estava quase a ir para o sofá ver o episódio da tarde do Lewis (tenho de voltar ao Plot Against America) quando decidi ir ver a prestação do SE Costa na SICN (a secretária amadora nem dá pio e com o ministro não perco tempo a ouvir nhanhanhas) e lá dei, de novo, com aquela ideia escuteira dos “voluntários” andarem de porta em porta a dar apoio aos alunos e levar materiais, porque há “redes locais” e tal e coiso. E um tipo interroga-se (que me desculpem as ditosas e ditosos seguidores dos dois Costas): mas se eu não posso sequer enviar uma pauta com as notas dos alunos da turma, de modo que outros as vejam, as escolas vão começar a dar moradas de alunos carenciados, problemáticos, etc, etc, só porque há alguém de uma ONG com coração d’oiro? A sério?

IMG_2674

(já o pivot esteve praticamente 10/10 no seu papel de picamiolos; gostei…)

Afinal Sempre Há Um Plano!

Comparar com o que o SE Costa disse ontem aos 3′ do programa Antena Aberta. Cá para mim, pensando que ia para outros ares, o homem deixou-se por uma vez ultrapassar pelo ministro que já tinha, na véspera, apresentado o plano inexistente. Que, claro, se dirá agora que é outro.

O programa ‘Includ-Ed’, que recorre a práticas pedagógicas inovadoras que envolvem a comunidade, foi elogiado pelo ministro da Educação: “É uma grande oportunidade para Portugal”

O programa ‘Includ-Ed’, para combate ao abandono e insucesso escolares através de práticas pedagógicas inovadoras que envolvem a comunidade, chega este ano a 50 agrupamentos de escolas do país, foi anunciado esta quarta-feira no Bombarral.

A inspiração foi colhida em Barcelona e a DGE tem até bastantes outros materiais online, traduzidos dos originais, porque parece que não há nada de novo por cá. Até aquilo das tertúlias que o ministro Tiago sugeriu não passa de uma cópia das Tertúlias Literárias Dialógicas dos anos 80 do século XX.

Não é a invenção da pólvora seca em pacotinhos, mas é do tempo áureo do Pisang Ambom com laranja.

sleepy