O Melhor Assessor De Imprensa Do Ministro Costa E Do Governo Entrou Em Acção

Eu bem disse que a equipa de comunicação do ME estava a precisar de uma renovação. Entrou Marcelo Rebelo de Sousa, que não deve ter bem a noção de quanto tempo dura o 2º período.

Para além de que a “avaliação”, como prática muito redutora de classificação e seriação dos alunos, deve ser encarada de um modo holístico e com umas pitadas de ubuntu À volta da fogueira do Dia das Cinzas.

Presidente alerta que avaliação pode ficar em causa se greves durarem até ao Carnaval

Marcelo Rebelo de Sousa retira responsabilidades ao ministro da Educação e pede solução rápida para impasse.

(…) Assumindo que a greve é motivada por questões mais simples e outras mais complicadas, como a da contagem do tempo de serviço, porque têm “implicações financeiras”, Marcelo disse desconhecer se o Governo tem “algum espaço de manobra” para ir avançando “de forma faseada”. O Presidente acabou por assumir a questão do tempo de serviço como a “mais difícil” porque “implica muito dinheiro”, embora exista uma solução “possível”.

De qualquer maneira, o Presidente segurou o ministro da Educação João Costa. “Não penso que seja um problema do ministro A, B ou C, a posição é do Governo”, defendeu, considerando que “muitas das soluções implicam decisões de vários ministérios, nomeadamente o das Finanças”.

Curiosamente… esta intervenção até bate certo com um par de mensagens que recebi acerca do “cansaço” que esta greve está a acusar entre os professores. Curiosamente, com origem num sector que só agora começou…

Desmentindo O Desmentido Do Desmentido (Ou Algo Parecido, Relembrando O Saudoso Eco)

No interior, claro que não se percebendo o que se está exactamente a passar, por não é gravação com som e tudo o mais. Sim, pode ter sido “aleatório” e “não direccionado”, não estando aqui a duvidar seja do que for, mas apenas registando o que terá ocorrido.

Reuniões Negociais Antecipadas Para Dias 18 a 20 Deste Mês

Acabado de ouvir na rádio, há poucos minutos.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONVOCA SINDICATOS PARA REUNIÃO NEGOCIAL

Encontro entre governantes e 12 sindicatos marcado para 18 e 20 de janeiro.

Em comunicado, o Ministério refere que será também “analisada uma proposta de calendário negocial sobre outras matérias”.

A abertura de outros processos negociais é uma das reivindicações das oito estruturas sindicais, incluindo a Federação Nacional dos Professores (Fenprof), que organizaram um acampamento de quatro dias, a partir de terça-feira, à frente do Ministério da Educação, em Lisboa.

“.

A FNE Tenta Colar-se Ao Pelotão, Mas Parece Ter Perdido Alguma Competência Na Expressão Escrita Durante A Pandemia

Conferência de Imprensa da FNE: Querem melhorar a Educação? Tratem bem os que cá estão!

Que me desculpem, logo eu que me farto de gralhar, mas a expressão escrita poderia ser (muito) mais cuidada. “Semos” professores, afinal.

Num Grande Agrupamento Da Grande Capital…

… ao fim de anos disto, nem presidente do Conselho Geral, nem directora parecem ainda ter entendido uma das siglas mais em voga. Pelos vistos temos secções de avaliação da amabilidade (ou algo assim) docente. Não, não é gralha ocasional, porque eu posso comprovar em primeira mão que o erro é recorrente, mesmo depois de ser feito o devido aviso. Também não se percebe bem o uso de duplas aspas, mas enfim, nem toda a gente chega a estes cargos necessariamente por “mérito”. Mas o copy/paste de recurso para recurso dá nisto.

Só Hoje Dei Com Este Tesourinho Deprimente

Que está em acesso público no fbook, deade dia 20 de Dezembro, acompanhado do seguinte texto:

O novo presidente do SPZN, recentemente empossado, juntou a sua voz à do Ministro da Educação, para denunciar a campanha de desinformação levada a cabo pela Fenprof e restantes sindicatos. Nesta sua primeira intervenção pública já demonstrou que, tal como a sua antecessora, continuará na senda de um sindicalismo sério e rigoroso.

(agradecendo ao Ricardo Santos a chamada de atenção)

O Natal Das Escolas

Quase como dos hospitais, mas sem o Marco Paulo, a Àgata, a Lara Li ou o Eládio Clímaco. De um coordenador de estabelecimento, prosa que acho merecedora de destaque devido a uma qualquer razão que já esqueci. Mas não podia deixar de partilhar esta reflexão em forma de coiso e tal, plena de positividade e aconchego.

Olá colegas

Chegados ao final deste ano civil, que coincide com o final do 1º período, é sempre bom fazer uma reflexão, sucinta, prática e precisa.

Enquanto ser humano, enquanto coordenador, é muito fácil verificar a diversidade de personalidades existentes na nossa comunidade escolar.  Esta curta, ainda, experiência permite-me aferir que todos os seres humanos são possuidores de uma força de vontade, de uma dedicação sem igual, em causa própria, sem margem de dúvida. Em causa profissional, essa mesma dedicação é posta em causa por múltiplos fatores e variáveis que nos tentam, a todos, desviar da nossa essência e de igual forma retirar energia e cumplicidade no processo. Mas não esqueço quem somos, e como somos, na nossa essência e em causa própria, pelo que não posso deixar ninguém esmorecer ou ficar para trás.

A questão que me surge, dia após dia, é como fazer convergir uma pequena parte dessas forças, numa só, a do ensino, a de uma escola feliz, a de uma escola onde todos se consigam sentir (minimamente) realizados, sobretudo numa escola com características tão especiais e peculiares como a nossa. Acabaram de ler neste parágrafo o meu foco de luta diário.

Alguém disse, o homem sonha a obra nasce, eu sou esse homem, a sonhar, desculpem esta utopia, mas é assim que quero viver.

Aproveito este momento para pedir desculpas a quem não consegui chegar na plenitude das minhas faculdades. Estas falhas, palavra de honra, não caíram no vazio, acabaram por ser aprendizagens. De igual forma partilho convosco uma confidência, é extremamente gratificante perceber que consegui chegar a alguns de vós, e sentir, que juntos, somos uma parte, de algo muito maior, a construção de uma peça do amanhã.

Gratidão é uma palavra que está muito na moda, é essa mesma palavra eu deixo aqui para todos os meus colegas, ao seu companheirismo, pela suas partilhas e profissionalismo.  De igual forma faço aqui um reconhecimento, as técnicas, pela sua postura e apoio, em todas as iniciativas, quer à pessoa do coordenador, quer sobretudo aos diretores de turma, mesmo quando mergulhadas nas imensas solicitações e em simultâneo. Finalizo este parágrafo de gratidão, aos assistentes operacionais que me disseram e vos disseram, presente, sempre que o momento justificou, criando os mecanismos próprios para que o nosso dia a dia funcione sem constrangimentos.

Nesta pequena pausa de interrupção letiva, desejo que descansem, que aproveitem os vossos, que espalhem boa disposição, que recebam sorrisos. Não vos desejo isto de forma totalmente inocente, faço-o, porque pretendo arrecadar juros de todos estes sentimentos e vivências, recebendo-vos com as baterias bastante carregadas e prontos para abraçar a minha utopia.

Se com estas minhas palavras conseguir atingir uma população considerável da nossa comunidade escolar tenho a certeza que, com a vossa força, com vosso empenho e com a vossa dedicação, vamos de certeza atingir patamares de sucesso mais elevados, assim como de bem-estar, de amizade, que em conjunto fazem atingir um dos pequenos itens da felicidade.

Agora é tempo de parar de ler e viver a quadra natalícia da forma mais adequada que só cada um sabe como o fazer, de uma forma muito própria e personalizada.

Saúdo-vos, com um enorme e caloroso abraço, a vós e aos vossos familiares, num momento muito curto de partilha de fraternidade deste vosso amigo omnipresente.

Como tal, que tenham umas Santas Festas e como alguém disse, façam o favor de ser felizes!

Com os melhores cumprimentos,

(…)

p.s. por favor, se verificarem que este e-mail não chegou a todos os colegas, reencaminhem. Obrigado.

Reencaminharam e, já agora, para a próxima o colega que use o bcc, porque assim fica tudo à vista.