6ª Feira

A “melhor” das justificações que me foi transmitida acerca de convocar reuniões presenciais foi a de alguém que afirmou “mas olha lá, o meu concelho até é dos que só tem risco elevado, que é o segundo menos grave”. Nestes casos, é irrelevante apontar às pessoas que até têm um grau académico superior, tirado antes das bolonhices e tudo, porque já vi médicos muito bem-intencionados (“pela verdade, nada contra a verdade”) a dizer que a vacinação é apenas um pretexto para nos meterem uns chips localizadores debaixo da pele. O que até me daria jeito, porque a avançar na idade, sempre será uma maneira de não me perder por aí,

(faz de conta que não fui eu que sugeri… mas que tal alguém na dge, dgae – digamos assim, o nosso ex-colega césar paulo, tão preocupado que ele sempre esteve com o bem-estar de todos nós – ou qualquer organismo disponível enviar um esclarecimento bem clarinho às direcções para que se deixem de palermices? e não se refugiem na questão da “autonomia” porque para tanta outra coisa não serve de nada…)

A Web Some-te

É ridículo ver o actual PM a regozijar-se com o enorme evento global do mundo digital e, na generalidade das escolas (eu sei que há que há lugares onde mãos amigas conseguiram fazer chegar apoios para coisas-piloto), estar tudo exactamente como estava em Março, na pré-pandemia. Aposto que os 11 milhões de euros não precisaram de grandes discussões, nem chegaram com atrasos.

Já sei… dá projecção a Portugal… António Costa até já nos fez campeões da inovação do pé descalço. Cada vez está mais “engenheiro”.

Domingo

Enquanto regressava de passeio matinal desanuviador, ouvia o noticiário do meio- dia na TSF.

Pergunta da jornalista ao presidente da ANDE acerca das “pontes” das próximas semanas: “o governo consultou-o antes de tomar a medida?

Resposta de Manuel Pereira (cito de memória, em versão curta); “sim, o senhor ministro falou comigo depois do Conselho de Ministros a comunicar-me a decisão.

A sério que me divirto muito com estas coisas e têm razão os que depois não gostam de mim porque não as deixo passar sem anotação.

Para A OMS É Mais Seguro Para As Crianças Estarem Na Escola Do Quem Em Casa Com A Família

E para além do que transcrevo, também o ouvi dizer na peça áudio algo como as crianças precisarem de ficar em “ambientes seguros” de aprendizagem, o que parece implicar que estando em casa ficam em “ambientes inseguros”.

Quanto à questão da não “eficiência” do encerramento dos espaços escolares (com tudo o que de negativo reconheço), lamento mas os estudos mais recentes indicam exactamente o contrário do que o senhor diz. E por uma vez, alguns teóricos do primado da Economia e do anti-confinamento poderão estar de acordo com a OMS.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) defendeu esta quinta-feira a necessidade de manter as escolas abertas durante a pandemia de covid-19 e considerou que podem evitar-se os confinamentos se forem aumentadas as medidas de protecção.

“Devemos assegurar o ensino aos nossos filhos”, afirmou o director da OMS para a Europa, Hans Kluge, sublinhando que as crianças e adolescentes não são impulsionadores principais do contágio e que o fecho de escolas não é eficiente.

frisou também que os confinamentos são “uma perda de recursos” e que provocam muitos efeitos secundários, como danos na saúde mental ou aumento da violência de género. De acordo com o mesmo responsável, esta medida seria evitável se o uso de máscaras fosse superior a 90% entre a população.

Mas Eu Não Assisti A Nada!

A Leya mandou-me, em iniciativa com a colaboração da Confap e do Eduardo Sá, um certificado em branco e editável da participação numa webinar em que estiveram, por exemplo, o sempre presente SE Costa e o pai Ascensão, moderados pelo dito Eduardo Sá. Mas eu não assisti e nem sequer me ocorreu assistir…

Será isto a antítese daquelas formações a dezenas de euros o crédito?

Só Podem Estar A Brincar Com O Pagode!

E se em vez de uma app pusessem uma ferro em brasa na testa? É que mesmo um tipo que defende medidas de prevenção tem limites para o nível de intervenção na vida de cada um. Uma coisa é o respeito pela segurança alheia, outra andar com um chocalho ao pescoço por estar doente.

Não usar máscara na rua ou não ter app StayAway Covid na escola poderá dar multa até 500 euros