Mas Ontem À Noite Não Disse Que Confiava Nas Autoridades De Saúde Do País, As Quais Acabavam De Recomendar Que Não Fechassem?

O secretário-geral da Federação Nacional dos Professores (Fenprof), anunciou esta quinta-feira, em conferência de imprensa após reunião de sindicatos de Educação, que o “interesse da Educação” é o encerramento imediato de todas as escolas.

Mas… talvez…

“Reconhecemos, porém, que na decisão a ser tomada haverá outros critérios e outros interesses mais abrangentes, designadamente de saúde pública, que devem ser tidos em conta”, explica Mário Nogueira. “Não temos dúvida nenhuma, e isso foi discutido na nossa reunião, de que o encerramento total de escolas vai acontecer. Só não nos podemos pronunciar e não nos compete a nós dizer qual é o momento. Não nos compete dizer se o momento é este, se é mais à frente ou se já devia ter sido…”

Acho que o vírus é outro.

Parvo

 

Parece Que Perceberam…

… que os manuais não devem ser reutilizados, pelo menos no 1º ciclo. O engraçado é ler as declarações de todos aqueles (tirando os editores, claro, e os pais só depois de receberem manuais riscados) que não tinham bem tal opinião, depois dos senhores que negoceiam o orçamento decidirem assim, mas agora já acham que assim é que está bem. Isto já não me desgosta, apenas cansa.

Tiro

(e eu acrescento sempre a questão da “memória” que para muitos é importante… porque embora saiba que muita gente dá pouco valor a isso, há quem goste de revisitar o seu passado…)

 

 

3ª Feira

Parece que existem centenas de propostas de alteração do OE para 2020. Ouvi de passagem os destaques nos noticiários da manhã. Ao contrário do que gentilmente me avisaram algumas pessoas inteligentes quando critiquei certas abstenções na generalidade, não ouvi nada sobre a recuperação do tempo de serviço docente. Os tempos são de outras prioridades. Ao que parece, todos (ou quase) querem colocar uma pedra sobre o assunto. Basta ver o caso do PCP que ignora os professores integrados na carreira no seu Plano Nacional de Valorização da Escola Pública. E quanto ao Bloco ainda não deu para perceber, mas duvido.

contorcionismo

Sábado

Como seria de esperar, aquilo dos 60 anos sem aulas já tem “especificações”. Apenas para o 1º ciclo e pré-escolar. Tudo bem, mesmo que seja só assim, até será melhor do que nada. Mas… quer-me parecer que em breve se saberá que será para apenas para quem tenha 60 anos, 55 de carreira, pé boto, olho esquerdo vesgo, três dedos na mão direita e quatro no pé esquerdo e um poster da ministra Alexandra Leitão na revista Super Pop de Agosto de 1995.

Superpop

PCP Mainstream

O voto de abstenção que o PCP adoptará na votação na generalidade do OE é assumido como uma forma de não fechar as possibilidades de avançar nesse sentido, de defesa, reposição e conquista de direitos e de resposta aos problemas estruturais com que o País está confrontado, ainda que partindo de um orçamento cuja proposta na sua formulação actual está distante das necessidades do País.

Recomendo a leitura dos “aspectos” pelos quais o PCP considera importante bater-se, pois é evidente a ausência de qualquer referência à valorização das carreiras da função pública, muito menos a qualquer recuperação de tempo de serviço, restando as formulações vagas sobre “valorização dos serviços públicos”. E sobre a Educação, nenhuma menção específica, parecendo que tudo se vai limitar a “creches gratuitas” para que a “escola a tempo inteiro” ao serviço de horários de trabalho desregulados seja uma realidade desde a mais tenra idade.

O PCP, tantas vezes acusado de ortodoxia e rigidez, depois de uma experiência de proximidade em relação ao poder executivo, parece ter adoptado uma flexibilidade assinalável, não percebendo de forma clara que foi assim que se enterrou nas últimas eleições autárquicas e legislativas. As suas “conquistas negociais” serão sempre vistas pela opinião pública como opções do governo do PS e não como cedências, por muitos outdoors que coloquem a anunciar as suas “causas”.

Quarenta anos depois, parece que o eurocomunismo chegou à Soeiro Pereira Gomes.

Pizza

 

 

Marcelo, O Anti-Populista

(Ou)viram a intervenção do PR na abertura do ano judicial? Eu apanhei-o ao sair das aulas, ali mesmo em directo, na rádio. Acho que poucas vezes (nenhuma?) o (ou)vi tão avesso a populismos, sondagens e vozes populares. O conteúdo até é interessantes, mas não “cola” com estes anos recentes.

marcelo-rebelo-de-sousa-borat

 

Pois É, Alexandre, Mas Nada Se Resolve Propondo Seguir Modelos Em Falência…

… como certas pessoas fizeram em letra impressa, e até recentemente, com um entusiasmo não partilhado por quem sempre se preocupou mais em “diacronizar” e contextualizar as coisas do quem analistas “sincrónicos”.

Não deixa de ser interessante que algumas análises se “desloquem” do domínio do desempenho propriamente dito para as questões “sociais”. Porque houve um modelo de análise que também faliu.

Mas vai-se aprendendo com a experiência e ainda te hei-de ler a defender que a justiça social e o combate às desigualdades deve começar e terminar fora dos portões das escolas.

Na dimensão social, o sistema educativo português está a falhar. 18 anos depois e governo após governo, o mais grave é que ninguém acredita que este desafio esteja verdadeiramente a ser enfrentado.

profpardal