A Fogueira Das Vaidades (Ministeriáveis)

Ou dos inocentes, nem bem percebo.

Depois do ministro Tiago se ter mostrado disponível para ser o único ME a cumprir dois mandatos seguidos e de atabalhoadamente ter mandado alguém dizer que ele não dissera exactamente o que dissera exactamente, apareceram algumas adivinhações nas maléficas “redes sociais” acerca de um@ potencial nov@ ME.

Ora bem… há um questão básica que deve ser tida em conta… só um cataclismo levaria a que não fosse alguém na área do PS (ou um “independente” que, como o Tiago, rapidamente se torna dependente) e na linha das políticas desenvolvidas desde 2005 em áreas como a gestão escolar, a encenação demagógica do sucesso a todo o custo, o esvaziamento do currículo, a municipalização, a domesticação da classe docente e tudo aquilo que conhecemos até à hiper-burocratização do quotidiano escolar.

Qualquer pessoa com um mínimo de pensamento próprio dificilmente se enquadra nisto, a menos que seja um crente devoto destas tendências, que os há. Pelo que seria de deixar de fora personalidades que, em meu escasso entendimento, estão muito para além da pequenez de ser ministro em Portugal e por maioria de razão de um PM que volta a ter uma relação complicada com os factos. Ou que se assuma como de mera continuidade.

Pelo que resta aquilo a que não será ousado chamar aparelhistas ou oportunistas, que os há muitos, nada de pânico.

Só que parte deles tem muito mais a ganhar nos próximos anos com uma série de oportunidades de negócio junto das autarquias, como consultores ou especialistas em planos de combate ao insucesso/promoção do sucesso (não é só na Educação, a coisa parece uma nova versão do Faroeste). Ou em grupos de trabalho e estruturas de missão para preparar medidas legislativas, acerca das quais depois se vendem formações e manuais. Ocorrem-me vários nomes, incluindo ex-governantes, e neste caso para além do PS. É ver os contratos, seguir a pista dos centros de estudos e/ou investigação, das empresas de consultoria ou de outros mantos que ocultam ligeiramente os interesses pessoais. E para esses, ser ministro é pior em termos materiais do que beneficiar do poder de influência sobre as decisões de ministros ou secretários de Estado.

Pelo que sobram menos candidat@s com algum “perfil” ou “currículo”, que se dividirão entre “prémios de carreira” (mas nesse caso também há o CNE como prateleira honorífica), o “pára-quedismo” (não sei porquê, lembrei-me do deputado silva e o seu arreganhado “trabalho político” dentro e fora do Parlamento) ou, como no caso do actual titular, de “jovens” testas-de-ferro que nada de essencial decidem, pois são @s secretári@s de Estado a governar. Ou o casal-maravilha da flexibilização que forma uma equipa em si mesma (davam um belo par para as secretarias). Ou, claro, a secretária Leitão que é toda uma categoria à parte.

CADEIRADEBALANÇO

Parece Que Termina Amanhã A Requisição Civil…

… do Verão meio frescote e com uma assinalável série de semanas com risco médio-baixo de incêndio. Só pode ter sido por distracção. Aguarda-se uma reacção firme do governo, sabendo-se por aqui desde já que o ministro Silva 1 entende que o Verão não deveria ser entendido de “forma literal” e que o ministro Silva 2 irá mandar investigar qualquer incumprimento em matéria de humidade atmosférica, por baixa médica, do São Pedro. Quanto ao ministro Cabrita consta que já encomendou uns milhares de borrifadores portáteis ao vizinho da porteira do primo do adjunto do colega do ambiente.

Anita-na-Praia

(entretanto, o presidente Marcelo incita o clima a manter-se estável, para que a população não se revolte e perturbe o período de reflexão estival pré-eleitoral e promete desde já que cavalgará qualquer cúmulo-nimbo que encontre pelo caminho…)

O Contributo Da Greve Dos Motoristas Para A Salvação Do Planeta

Detalhe nada irrelevante que tem passado ao lado de todo este debate. Porque ao limitar a utilização dos transportes, em especial os privados, está-se a reduzir a emissão de gases poluentes. Se fosse uma qualquer iniciativa, controlada à distância pelas jotas, em defesa do planeta A, sugerindo um ou dois dias sem recurso ao transporte automóvel até engalanariam o Terreiro do Paço. Mesmo quem anda, anda bem mais devagar para gastar menos. Basta ver como eu, longe de ser o pepe rápido nas auto-estradas, agora quase não saio da faixa da esquerda, mesmo indo bem abaixo do limite legal de velocidade. Uma coisa curiosa é que não tenho visto tantos ciclistas pelas estradas secundárias por onde passo.

Portanto, esta até pode ser vista como uma greve de interesse mundial.

PlanetaA

(já agora, a teoria da conspiração (do lado contrário) de que a corrida aos abastecimentos levou ao aumento da receita de gasolineiras e Estado é uma falácia, porque só se consome o combustível quando se anda e se andarmos o mesmo ou menos por estes dias… o saldo é nulo ou mesmo negativo. Porque depois de atestar, não é possível atestar de novo e aos aflitos de jerrycan na bagageira aplica-se o mesmo princípio)

Eu Sou Flexível…

… e já admito – quase espero – que acabem com as provas finais de 9º ano. Se em troca acabarem com as conversas da treta sobre as “combinações” ganhadoras ou perdedoras nas reuniões do 3º período. A mim aflige um bocado, em especial quando se fez um percurso de três anos com um aluno, que seja tudo decidido no photo-finish, com base em conversas bacocas e alguns ensimesmamentos de quem fez formação do 54 para totós. Ainda bem que não tenho 9ºs este ano ou ainda andariam a bater com um pau na lama a ver se estava a falar de alguém em concreto e não da névoa imensa que cobre as reuniões de avaliação por estes dias, pela generalidade do país.

Acabem com o raio das provas finais e com as retenções. Passa tudo e pronto. Tenham-nos no sítio e assumam-se em vez de massacrarem a malta que não é surda e tem vida com tanta vacuidade pomposa e verborreica. A sério… acho que se ganham importantes horas de vida (dias mesmo se formos acumulando), se for passagem automática e fecho-éclair na boca das boas intenções, até porque assim não existiria Inferno para encher.

Bigorna

 

Não Se Admirem Se…

… logo em Julho ou em Setembro pré-eleitoral os números de quem aderiu ao faseamento seja usado como argumento político, insinuando-se que quem queria 9-4-2 correu em busca de um terço dos 2-9-18. Claro que a maioria (dos que não progrediram em 2019) pensa que assim sempre progredirá, em média um ano mais cedo e ganhará algo material com isso. E é compreensível. Mas não se admirem se a coisa vier em forma de pedrada na direcção da classe docente.

E lembrem-se que Costa já anunciou que não aceita a questão dos professores como condição para assinar nova geringonça. Pelo que não adiante ter grande esperança em ir bater à porta de um novo governo liderado pelo PS (sem que isto signifique que adiante bater à porta do PSD).

Portanto… winter is here to stay!

winter has come