Finalmente…

… comprei-o, ao fim de uma dezena de campanhas e promoções a 40-50%. Confesso que por causa do Limonov de Emmanuel Carrère, um dos melhores livros que li, sem exagero, na presente década. Espero repetir pelo menos uma parte do prazer, mesmo se o registo é diferente.

IMG_1384

Sábado

Para a semana já há Feira do Livro em Lisboa e sempre haverá uma razão extra para comprar uns livros e ler qualquer coisa que nos enriqueça. Ir além dos clichés clássicos ou modernos. Além do Eça e Pessoa, por estimáveis que sejam, ou dos Paulos Coelhos e Rodrigues dos Santos, por inestimáveis que pareçam. Ou outros que ficam bem nas citações de leituras, mas que só se entendem pelas aparências. Tal como viajar, ler é um dos meios que temos para conhecer melhor a natureza humana, o mundo e sermos um pouco mais do que poucochinhos.

IMG_1091

 

 

Sábado

Nada como ler mais do que os clichés que ficam bem em listas de “clássicos”. Ler coisas novas que trazem novas perspectivas e não apenas o requentar de velhas fórmulas. Que é a especialidade de muita gente que anda por aí a citar sempre “autoridades” porque, em boa verdade, pouco mais leu se é que leu mesmo o que diz ter lido (viva o Conan Osíris que no Expresso de ontem escolheu como livro da vida em volume dos Arrepios, porque pelo menos parece sincero).

Ambos os livros são (para alguns talvez de forma insuportável) sobre questões “morais”.

IMG_0715

(as edições em inglês devem-se não a um enorme cosmopolitismo, mas a racionalidade financeira)