Vetos De Bom Senso

Contra o fim dos debates semanais (se acham que são só para o espectáculo, façam deles outra coisa) e o aumento do número de assinaturas para as petições irem a debate (se estão fartos dos cidadãos, não digam depois que a sociedade civil não se mexe). Podem servir de pouco, mas sempre são um pequeno obstáculo ao encapsulamento de uma “elite” política de fraca qualidade e escassa crença na essência da Democracia.

profmartelo (1)

António Nóvoa – As Mudanças Na Educação São Sempre Mudanças Muito Longas

Não há mudanças rápidas em Educação. Não há nenhum exemplo, É sempre no tempo longo. A covid não trouxe nada de estruturalmente novo, que não soubéssemos antes.

Uma coisa é ouvir António Nóvoa, outros algumas figurinhas deprimentes de 2ª ou 3ª linha.

Uma Pessoa Sensata

25 de Janeiro:

O presidente do Lloyds Bank, que se tornou uma voz importante na defesa de melhores condições para assegurar a saúde mental no local de trabalho, recordou à BBC o seu próprio caso de ‘burnout’ e deixou um conselho: “Os períodos de alta performance laboral devem ser conciliados com períodos significativos de descanso”

6 de Julho:

O presidente executivo do Lloyds, António Horta Osório, anunciou a saída do banco inglês em junho do próximo ano, ao fim de 10 anos na instituição.

Numa nota de imprensa, o Lloyds Banking Group realça que Horta Osório entende que “as pessoas não se devem perpetuar nos cargos, para benefício das instituições e dos próprios”.

Mas por cá, o benefício d@s própri@s ultrapassa qualquer outro (atrofiamento).

Thumbs

Lucidez

People talk about the upcoming school year as if we have a choice between in-person classes or distance learning.

We don’t.

The fact is there will be NO face-to-face learning this year.

Neither in our school buildings or on-line.

No matter which path we choose, we will be teaching behind a mask or behind a computer screen.

mask

Vou De Joelhos Até Ali À Serra Do Louro, Por Entre As Vinhas Em Crescimento, Se Me Disserem Quem Lhe Abriu A Cabeça E Meteu Lá Bom Senso

Porque esta é que é uma bela inversão de discurso em relação a um passado não muito distante. Ou então deu-lhe ali uma claridade. Quando é para se elogiar, elogie-se. Uma webinar que sempre serviu para alguma coisa.

Pronto, estou de acordo com o SE Costa e estou quase a implorar-lhe para ser meu bff, porque me parece que há quem goste muito.

“Não pensemos que o que aconteceu neste terceiro período, e está a acontecer, é uma mudança paradigmática na educação. É um remendo para poder levar este ano letivo até ao fim e agora interessa-nos estarmos num trabalho de preparação para o próximo ano letivo”, afirmou João Costa.

O secretário de Estado participou num ‘webinar’ sobre os desafios e oportunidades para a educação do futuro, organizado pela Câmara de Comércio e Indústria, e falou sobre os constrangimentos colocados pelo modelo que substituiu as atividades presenciais, suspensas devido à pandemia da covid-19, e sobre as lições para o futuro.

stop-the-press

 

Um Bom Exemplo

No plano E@D de uma escola (felizmente) perto de mim. E apesar de a promoção do bem estar emocional ser uma função adicional da docência e, ao que parece, não tanto da família.

O desenvolvimento de atividades à distância com os Alunos deve centrar-se na criação de rotinas de trabalho, que lhes configuram segurança, e que são diferentes das  presenciais. Paralelamente, deverão ser desenvolvidas atividades de caráter lúdico, que promovam o bem-estar emocional do Aluno.

As sessões síncronas deverão ser realizadas com o vídeo desligado por todos os intervenientes.

Não serão marcadas faltas aos alunos.

Thumbs

 

O Que É Claro, Claríssimo É

“A situação em que vivemos é de tal modo estranha e grave que tudo é possível”, diz José Eduardo Lemos, presidente do Conselho de Escolas, o organismo que representa os directores junto do Ministério da Educação, sobre as alternativas avançadas na proposta de decreto presidencial que permite adiar os exames e o início do próximo ano lectivo.  Por exemplo, “é possível adiar o início do ano lectivo”, embora seja uma operação de “alguma complexidade”, sublinha.

O também director da Escola Secundária Eça de Queiroz, na Póvoa do Varzim, chama a atenção de que “tudo irá depender” da altura que for possível reiniciar as aulas.

“Se for até ao final de Abril, princípio de Maio, então estes problemas vão ficar resolvidos quase naturalmente”. Mas se tal não for exequível, então o “final do ano lectivo estará perdido e também os exames, como os conhecemos”, alerta o também presidente do Conselho das Escolas.

palmada