E Continuamos A Pagar Isto Tudo Porquê?

Novo Banco vendeu 13 mil imóveis a fundo anónimo, deu crédito e recebeu compensação estatal pelas perdas

Foi o maior negócio imobiliário em Portugal nos últimos anos. Foi uma “pechincha”. O Fundo de Resolução cobriu as perdas de centenas de milhões. O Novo Banco vendeu e emprestou o dinheiro a quem comprou. Quem? Não se sabe. Ninguém escrutinou os compradores.
Para que, como eu, não tem acesso exclusivo, há um resumo aqui. Isto é tudo demasiado mau, mas a coreografia é sempre a mesma.
buraco-dinheiro-2

Os Amiguinhos Do Costume

E aquela conversa enrolada para fazer boi dormir.

O secretário de Estado da Educação explica que quer “fazer uma transição que não é experimentalista e que foi preparada com uma capacitação para aquilo que podem ser os obstáculos”. O objetivo, segundo o governante, é alcançar resultados o mais positivos possível, porque, como diz, se, por exemplo, “o próprio professor não conseguir explorar amplamente as capacidades dos recursos digitais, eles podem ser ou relativamente inúteis ou, até, não serem um bom substituto do papel”.

O grupo de dez escolas consta de uma lista que o próprio diz ainda não estar fechada, mas que terá “diferentes contextos geográficos, diferentes cenários socioeconómicos de implantação da própria escola”.

João Costa sublinha que se poderá tentar uma desmaterialização dos manuais já em setembro, “para servirem também um pouco de tubo de ensaio para a escalagem para todos os agrupamentos de uma forma progressiva”.

E se continuarem a ler a notícia percebem logo quem está à espera de encomendas.

Carapaus

Alguém Perguntava Há Bocado, Numa “Rede Social”, E Com Razão…

… algo como… se as escolas se queixam de não ter dinheiro para comprar gel desinfestante e máscaras como têm para comprar plataformas e aplicações que não são baratas?

E acrescento eu… e para quê, então, o E360?

Money

(isto faz-me lembrar aquela escola que contratava sempre o mesmo esposo de uma “notável” para assegurar a manutenção dos equipamentos…)

TAP Privada 3, Escola Pública Digital, 1

São as contas, tão demagógicas como quaisquer cálculos centénicos ou pós-centénicos, quando se percebe que uma empresa vendida, dizia-se, para fazer receita para o Estado, só produz mais e mais despesa, três vezes superior num só ano (1,200 M€) do que todo o dinheiro anunciado para a “Escola Digital” (400 M€). Só falta aparecerem os economistas geniais a explicar que uma coisa é uma one-off ou coisas assim, quando já sabemos que são as vezes que eles bem contrataram.

BArtsimpson

Até Ao Infinito E Mais Além

E pagam a tempo e nem refilam… porque está no “contrato”. E não se pode deixar de cumprir o que foi “acordado”. E aqui há sempre “direitos adquiridos”. Irrevogavelmente.

Injeções de dinheiro no Novo Banco podem atingir valores “desconhecidos”

Achavam que era muito dinheiro pagar o que sacaram aos professores anos a fio em tempo de serviço? Mesmo com os números centénicos todos aldrabados? Então fiquem-se com esta derrapagem e digam que o homem não é um génio das finanças. E é isto o “banco bom”.

Ou seja, o valor do capital já injetado este ano com recurso a fundos públicos e em plena crise ascende aos tais 1035 milhões, o que representa uma derrapagem de mais de 70% face ao que foi aprovado no Parlamento, no OE2020, mas também fura o máximo anual previsto, que é de 850 milhões de euros.

Metralhas