6ª Feira

País triste, que talvez mereça os governantes que atrasam o pagamento a bombeiros, minguam o pagamento a professores e contam as horas de enfermeiros e médicos, depois de dois anos em que tanto precisaram deles, para um qualquer merdina, sem especiais qualidades à vista desarmada , se manter anos em cargos a partir dos quais pode pagar dezenas de milhares de euros a quem presta serviços ao seu ego e à sua pandilha. São, por certo, “prioridades” e ninguém bufa lá no rato largo porque tod@s acabam por estar á espera da sua vez, tipo galamba, para desdizer o que alguma vez disseram, que a gamela, bem apertadinhos, até dá para muita coisa. Basta vez como se deixou de ouvir falar dos dinheiros de uma tal bazuca, sem que se dê por chegar onde mais se sente falta. Bem dizia ontem uma senhora na serra da Estrela, em reportagem nocturna da rtp3, que o Estado vai servir é para lhe ir cobrar os impostos dos terrenos e recursos que arderam, apesar dos anúncios mediáticos de centenas e milhares de “homens no terreno”. .

4ª Feira

O tesourinho deprimente que é a estórinha do Novo Banco era mais do que previsível desde o início. Mas muita gente optou por “acreditar” na bondade da solução. Ouvir ontem a Helena Garrido dizer que, afinal, a nacionalização proposta pelo PCP e Bloco não diminuiria os encargos,mas ao menos o Estado teria o património do banco e até poderia ser um caso de sucesso como a recuperação da CGD é apenas caricato.

Desisti…

… ainda na primeira volta e em parte porque o Carlos Daniel decidiu dar a António Costa o direito de resposta, ainda antes de todos terem direito a falar. Primus inter pares, assim às escancaras? Não quero saber se falaram de Educação ou não, pois tudo ficará na mesma, mesmo que pareça mudar alguma coisa. E quanto ao país, só está em causa o rotativismo das clientelas prioritárias no acesso à bazuca.

Morreram Dois Recrutas

Mas todos sabemos que era uma brincadeira, que isto na tropa é só a fingir e que tudo não passa de uma ilusão e que, no limite, mais tarde ou mais cedo acabariam os dois por morrer, nem que fosse de velhice.

Houve três condenações com pena suspensa. O Ministério Público vai recorrer

Nestes Casos, Podemos Chamar “Cabeça De Ovo” Ao Homem?

É que “leão” faz-me sentir mal. Até porque o “Estado” é sempre “pessoa de bem” para os grandes, mas aos pequenos lixa logo que pode.

No final de 2020, o Parlamento barrou o ministro das Finanças, mas os milhões apareceram.

No final de 2020, o Orçamento de Estado para 2021 (OE2021) ficou preso por um fio devido ao Novo Banco (NB). Uma maioria parlamentar (BE, PSD, PCP e PAN) bloqueou a pretensão do governo e do ministro das Finanças de reservar uma dotação de despesa no OE para poder injetar mais dinheiro no NB.

Mas, na altura, o ministro avisou logo: o Estado é uma “pessoa de bem” e vai cumprir o contrato que assinou. E assim foi. Mesmo chumbado pelo Parlamento, em junho, o NB recebeu a primeira parte da ajuda (317 milhões) e, na semana passada, o resto que estava em dúvida, mais 112 milhões. No total os 429 milhões previamente acordados.

O dinheiro foi angariado com recurso a um sindicato bancário, mas depois foi vertido no Fundo de Resolução (uma entidade pública que conta para a despesa) que depois passou os milhões para o NB.

3ª Feira

A tradicional “falta de meios” não pode explicar tudo acerca dos atrasos ou erros processuais quando se trata de acusar os antigos apaniguados de Sócrates nas suas tropelias. Agora é mais um lote que escapa, nem precisando de ir para a África do Sul, pois nem a julgamento chegam. Não me venham dizer que tudo isto não passa de uma sucessão de acasos.

Mas Por Que Raio Temos Nós De Aguentar Com Estes Gajos?

Carlos César faz pressão máxima sobre BE e PCP: “Sentem-se melhor a fazer oposição ou a fazer acordos?”. Esquerda sobe tom da crítica

Pedro Adão e Silva ganhou 108 mil euros com comentário

Pedro Adão e Silva, o analista, ganha bastante mais do que Pedro Adão e Silva, o comissário. Deixou o ISCTE, mas fica nos media, a par da comissão para as comemorações dos 50 anos do 25 de Abril.

Pedro Adão e Silva já entregou a sua declaração de rendimentos no Tribunal Constitucional. O comissário executivo das comemorações dos 50 anos do 25 de Abril, nomeado em junho último pelo Governo, recusou na altura revelar quanto recebe no espaço de comentário na RTP, que vai manter, e a estação pública de televisão apenas remeteu para as tabelas da casa, sem adiantar valores. Mas a declaração permite perceber que a empresa através da qual fatura as múltiplas colaborações em órgãos de comunicação social, a Linha Justa Lda., teve em 2020 um volume de negócios de 108.642 euros, onde está incluído o que recebe da RTP (O outro lado), Expresso, TSF (Bloco Central), Sport TV e Record (do mesmo grupo da SÁBADO, a Cofina). O que fará dele, provavelmente, um dos mais bem pagos comentadores do País, pela acumulação de vários espaços.

O que mais espanta (?) neste segundo caso é que esta alma não consegue alinhar duas opiniões que escapem vagamente a qualquer das cartilhas que subscreve. O que nos pode sempre levantar a questão: o que ganha quem lhe paga?

Já quanto ao pretenso senador açoriano, aparece sempre que é preciso um trauliteiro com idade para ter juízo.