Manual Para Eunucos Linguísticos

Confesso que de qualquer organismo dirigido pelo Francisco Assis (aquela “população que um dia, quando era de noite numa localidade portuguesa do norte do país, foi atingida ou esteve para ser por uma manifestação de intolerância cívica, protagonizada por mãos em movimento rápido”) espero todo o tipo de parvoíce, armada em inovação. O homem gosta de estar em lugares, fazer coisas, parecer modernaço.

Por mim, os responsáveis por este tipo de iniciativas “neutras e inclusivas” podem bem ir fazer amor consigo mesmo, se ainda tiverem equipamentos anatómicos em condições de desempenhar essa função que permite algum prazer aos indivíduos de todas os credos, etnias e géneros.

Gestor é substituído por ‘população com cargos de gestão’ e trabalhadores passam a ‘população trabalhadora’. Tudo pela inclusão e pela linguagem neutra. Proposta retirada antes da votação

A imagem seguinte deve ler-se, numa perspectiva inclusiva, da seguinte forma “população caucasiana com capacidades intelectuais moderadas em relação à média desejável para a população em geral, atendendo a padrões padronizados de forma convencional, de acordo com parâmetros a carecer de revisão, tenta atingir um inocente insecto que decidiu descansar no seu órgão olfactivo, com artefacto produzido em contexto artesanal, havendo ainda a possibilidade de, com esse acto, estimular a sua actividade neuronal”.

Obrigadinho, Ó Mário!

Gosto deste tipo, que não dá uma aula desde que eu sou professor, mas que tem sempre sentenças prontas. Seja no exagero de uns números, seja no rápido aconchegamento às “prioridades”.

Portanto, por ti, vacina-se quem já lá está e quem vem de fora não é preciso? Já agora, pode-se ir vacinando o pessoal enquanto vai dado aulas, não achas?

Falhaste metade da vocação. Devias ter ido para doutor médico e depois logo ias para sindicalista. Demorava mais tempo a tirar o curso, mas parece-me que tens um dom natural. Ou isso ou para contas de sumir.

Vacinar todos os professores e funcionários escolares seria o ideal, diz ao PÚBLICO o secretário-geral da Federação Nacional dos Professores (Fenprof). Este universo ronda as 250 mil pessoas, estima. Mas se tiverem de ser definidas prioridades, Mário Nogueira não tem dúvidas: “Devem ser aqueles, professores e funcionários, que nunca saíram da escola. Estou a falar dos que pertencem ao grupo de intervenção precoce, que asseguram a educação especial e o funcionamento das escolas de acolhimento, entre outros casos de excepção, nomeadamente de apoio aos alunos que não dispõem de Internet ou computador em casa para poderem acompanhar as actividades lectivas.” Estes não devem ir além dos dez mil no total, calcula o líder da Fenprof.

A Confap Nunca Deixa De Nos Surpreender

Mas raramente (nunca?) é pela positiva. É verdade que os documentos andam melhor escritos do que no tempo do pai Albino, mas no mandato do pai Ascenção, a lógica do frete ao Poder continua inabalável.

No recente parecer (se é que assim se pode considerar esta comunicação) relativo a uma petição para a redução do número de alunos por turma, uma das grandes preocupações é que isso poderia implicara construção de novas escolas. Já conhecia a posição, mas não a rqieuza e singularidade do argumentário.

Um tipo lê e não quer acreditar, mas é memso obrigado a reconhecer que há quem nunca fiquem aquém das nossas mais baixas expectativas.

Vá Lá Que Eu Vejo Mais A HBO

Em vez de investirem numa banda mesmo larga e na qualidade dos serviços, optam por uma solução algo esquisita, até porque quem paga os serviços de streaming como é compensado pelo seu bloqueio?

As empresas de comunicação devem dar prevalência a clientes prioritários como os serviços e organismos do Ministério da Saúde ou as Forças Armadas, o que pode fazer com que as plataformas de streaming, como a Netflix ou o YouTube, se tornem mais lentas ou sejam até bloqueadas.

Phosga-se! – A Justificação Definitiva Para Um E@D Com Réplica Síncrona A 100% Do Horário Presencial

“Os professores não estão em layoff, recebem os seus salários iguais.”

E pronto. Numa escola da Grande Lisboa, onde a covid anda a bater em força e não apenas nos pulmões. Aguardo desenvolvimentos, mas dizem-me que há um “certo e determinado medo” em questionar isto em próxima reunião de CP.

Acredito que “fará escola”. Até porque a Norte se adivinham situações semelhantes. E não tarda nada será argumento central dos conrarias, miguelitos, raposos, baldaias e outros assim.

Como se o E@D se esgotasse nas síncronas.

De quem tenho sinceramente mais pena? D@s alun@s.

Importa-se de Repetir?

Há gente que de tanto se esforçar em agradar ao chefe, faz figuras muito tristemente apressadas. Foi a 3 de Junho, quando acreditavam em “milagres” (que não aconteceram por terem fechado “postigos”).

Daqui a uma semana os portugueses comemorarão o Dia de Portugal. Tal como em outros períodos da nossa longa historia, há fortes motivos de orgulho nos portugueses”, sustentou Joana Sá Pereira. 

Segundo a deputada do PS, na resposta à pandemia de covid-19, por parte do Governo, não houve sorte.

“O vírus teve, eu diria, talvez o azar de encontrar pela frente um povo experimentado e um Governo capaz”, contrapôs. 

2ª Feira – Dia 4 Do Pseudo-Confinamento

A uma primeira vista matinal, nota-se uma ligeira redução no trânsito. Deve ser com medo do tau-tau que o Conselho de Ministros vai dar nos “portugueses”, esse povo fascinante, capaz de tudo, de descobrir o caminho marítimo para a Índia e não conseguir passar sem uma cafézinho “ao postigo”. Entretanto, ontem, numa espécie de espelho dos eventos do PCP, mas em mais idiota, o Chega fez um jantar com 160 marmanjos (parece que era quase tudo gajos, a lembrar as velhas cervejarias de Munique, muito másculas), sem máscaras, todos muito juntinhos e com remoques contra a imprensa. Faz lembrar uma espécie de sketch do Herman ou dos Gato Fedorento, mas em que os actores se levam a sério.

A Shora Directora-Geral Graça Freitas Acha Que Os Professores Não Devem Ser Prioritários Na Vacinação

Foi no Parlamento, ou melhor, em vídeo-conferência segura. É a mesma shora doutora que teve estes desempenhos, reveladores de fina perspicácia.

(julgavam que ela se tinha esquecido do sacrifício que foi ter as netinhas em quarentena não sancionada pela vóvó?)

E O Prémio “A Primeira Criatura A Chegar-se À Frente Para Uma Comenda – Versão Pandemia” Vai Para…

Margarida Marrucho Mota Amador, coach e ex-directora do Colégio do Sagrado Coração de Maria e do Externato O Beiral com a seguinte argumentação de cariz profundamente humanista e claramente centrada no interesse maior do país e das crianças. Deve ter batido o JMTavares ou o Baldaia por umas horas.

Além de possibilitar a actividade económica de todos os seus fornecedores, e são muitos, desde o sector alimentar, aos produtos de limpeza e higiene, permite que as famílias que se encontram em teletrabalho, desenvolvam a sua actividade profissional a horas de expediente e com a devida concentração.