4ª Feira

Depois de tudo o que se vai sabendo – e será apenas o levantar da ponta do véu – sobre o desastre do sector bancário privado, as tropelias dos políticos para manterem benesses, a permanente erosão das condições de funcionamento do SNS ou a rede de influências na Justiça Quando até um vitalino serve para o Tribunal Constitucional(), ainda há alguém com um pingo de vergonha na cara diga que a Educação (desconto, com naturalidade, os mst’s e derivados ou aquela malta os queirozzezzezzz) é que está em crise ou é a razão do “atraso nacional”?

Não será o único sector que, e não é de agora mas sim de há uns 25 anos a esta parte, apresenta os únicos indicadores de progresso sustentado?

Portugal-dos-Pequenitos-7

 

O Esplendor De Portugal

A TVI já reagiu à entrevista de Ana Leal ao Sol, onde a jornalista afirma que o seu programa tem os dias contados e faz declarações polémicas, como o facto de o primeiro-ministro ter pedido à estação de Queluz de Baixo para a despedir. 

Segundo declarações do canal a vários orgãos de comunicação social, “esta entrevista foi dada sem autorização da direção de informação e as declarações da jornalista só a comprometem a ela”. “A TVI não decide criar ou acabar com programas em função de pressões externas. No que respeita a este caso concreto, o diretor Sérgio Figueiredo já recebeu muitos telefonemas por causa daquele espaço de investigação, mas nenhum deles até a data partiu do primeiro-ministro ou de quem com ele trabalha”, afirmam, negando assim as declarações de Ana Leal ao SOL.

Cinco desembargadores na teia da corrupção da Relação de Lisboa

Sexta às 9. Suspeitas de irregularidades graves na Quercus

Scream

Parece Ser Realmente Uma Enorme Surpresa…

… para algumas pessoas descobrirem, assim do nada, como se fosse algo sem anúncio prévio ou indícios relevantes, que na Justiça há coisa “cozinhadas”. Por exemplo, em tempos, houve um caso em que eu nunca tive dúvidas que a arguida, condenada em primeira instância, acabaria por safar-se ao longo do processo. Calhou ser na Relação de Lisboa, mas terá sido acaso e por certo tudo foi natural.

Justiça

(só mais um “suponhamos”… alguém acha que o senhor doutor advogado Vitalino Canas tem currículo para o Tribunal Constitucional? ou o “fantasma”  do engenheiro para avaliar juízes?)

 

2ª Feira

Um dia como outro qualquer quando se lêem as notícias de fim de semana. Do governante que decide com base em séries de televisão ao avençado académico do engenheiro que avalia candidatos a juízes, não esquecendo uma das eminências pardas do regime que surge em investigações internacionais de opacidades financeiras. Como qualquer bolada numa janela de sala de aula no 1º andar pela manhã, é tudo “normal”.

pastores-lo-abrao

Máquinas De Lavar

Pinto da Costa suspeito de fraude e lavagem de dinheiro

Luís Filipe Vieira investigado por fraude fiscal e lavagem de dinheiro

Venezuela: Dias Loureiro e António Vitorino sob suspeita

E, subitamente, parece que alguém quer que a coisa não se estenda por aí acima.

«Acabaram as investigações a políticos». Ordens da PGR limitam actuação do Ministério Público

Scream

 

Notícias Sortidas Do Bananal

O encaixe bilionário da Oi com a venda da Unitel era o capítulo que faltava na incrível história de destruição de valor ocorrida numa empresa que foi um símbolo do país no mundo. O fim da PT merece figurar numa antologia de grandes patifarias empresariais do século e devia servir de advertência para quem ainda defende as ‘golden share’ e o capitalismo de compadrio que vive da promiscuidade entre política e negócios.

A CGD financiou várias operações de Isabel dos Santos, nomeadamente na tomada de posição na Nos, e a Efacec é uma das devedoras do banco público.

O Tribunal da Relação de Lisboa revogou mais uma decisão do juiz Ivo Rosa. Desta vez, está em causa uma decisão de arquivamento na fase de instrução criminal no caso que envolve a companhia aérea da Sonangol — chamada Sonair — e diversos responsáveis da TAP num esquema de branqueamento de capitais que terá alegadamente beneficiado diversos responsáveis de topo angolanos.

Apesar de os advogados estarem há vários anos obrigados por lei a reportarem operações suspeitas de lavagem de dinheiro, praticamente não existem participações feitas por estes profissionais da Justiça no âmbito do combate ao branqueamento de capitais. 

 

shin