Notícias Da Piolheira

O problema pode não ser propriamente a “conjuntura internacional”.

Discussão acesa no Banco de Portugal associou Montepio ao caso BES

Entretanto, é destes juízes que eles gostam mais.

Juiz Ivo Rosa tentou proteger militares no caso de Tancos

Magistrado achava que Judiciária civil não tinha razões para investigar a sua congénere militar e não queria autorizar análise de dados de tráfego das antenas de telemóvel. Objecções do juiz provocaram meses de atraso na investigação.

sidoniopiolheira

A Leitura Do Despacho De Inquérito Do Processo-Crime Com O NUIPC 661/17.1TELSB…

… impressiona mais pela pequenez de muitas das figuras envolvidas e pela forma como colocam as suas vaidades pessoais acima de qualquer interesse público ou institucional do que propriamente pelas artimanhas de políticos de ocasião. Assim como impressiona a facilidade como um grupo de pequenos meliantes consegue introduzir-se em instalações militares e roubar armamento. O epifenómeno político é apenas uma cereja estragada em cima e um “bolo” podre até aos alicerces. E dá para perceber que o “bolo” é um reflexo do país e de como é governado, desde a escala micro-institucional, por cliques de habilidosos.

O topo e a base da hierarquia reflectem-se na sua mediocridade.

Scream

Mas Ainda Alguém Achava Que No Caso De Tancos Não Havia Muito Mais Do Que Um Mentiroso?

O que dizer de um gajo que chegou a ministro e disse repetidamente nada saber de um assunto – apoiado pelo PM que sempre quis escapar do assunto como se nada fosse com ele – sobre o qual manda um sms a um deputado (da comissão parlamentar que o estava a investigar) a dizer que “Eu sabia, mas tive de aguentar calado a porrada que levei. Mas não sabia que ia ser hoje”.

Se isso salpica Belém de lama? Desde o princípio que também se percebia que o PR ou andava a ser enganado ou a deixar-se enganar.

Lama

Maioria Absoluta?

A menos que pensem que dá para até o primo da vizinha do irmão do tipo que conhece o motorista do adjunto sacar um qualquer ajuste directo de umas dezenas ou centenas de milhar… enquanto o tipo à minha frente na fila do supermercado pede factura de uma despesa de 3,25€, convencido de qualquer coisa que me escapa.

Corrup

(dados divulgados no semanário de referência do dia…)