Entretanto, No Parlamento

Fora (André Pestana):

IMG_0884

Dentro (quem é este tipo do PSD?)

IMG_0886

Anota-se a forma como alguns jornalistas no local já garantiram o resultado final, com o “chumbo” das propostas.

O debate começa e desenvolve-se na mesma lógica da troca de argumentos dos últimos dias. Nada muito original. Estão todos de acordo em inviabilizar o processo, por estas razões ou por aquelas.

E eis que chega o aparatchik de serviço, o deputado Silva que repete e repete as mentiras do costume. Tem a falta de vergonha de falar em “contas certas”. Abjecto não especulativo. Merece uma nomeação antes do final do mandato para qualquer coisa que o proteja de um azar eleitoral. A ver se ganha o suficiente para fazer um tratamento às vértebras.

IMG_0888

E tudo termina, com @s senhor@s deputad@s a irem almoçar com o descanso de não terem causado uma “crise política”, incluindo os que professam credos revolucionários.

Na TVI24, mst não faz nada manhãs ou inícios de tarde, nem mesmo para se rejubilar, pelo que aparece uma “editora política” a comentar. Desliguei. E os outros canais, já agora.

IMG_0889

As Implicações Dos Números Da UTAO Deveriam Ser Óbvias…

… as “salvaguardas financeiras” de PSD/CDS são excessivas e, no limite, deveriam ser “mitigadas” para evitar que uma solução seja chumbada, à esquerda, com base em falsos pretextos.

Com os dados da UTAO é possível uma solução de consenso, não apressada, podendo ser remetida para a próxima semana, pois o Governo fica sem qualquer sustentação para a sua chantagem. Costa e Centeno de Harvard y Eurogrupo foram desmascarados. A Catarina Martins pode fazer pausa no seu júbilo por se ter ultrapassado a “agitação política” (é sempre deprimente ver radicais a querer levar as coisas nas calmas) e o tio Jerónimo só ganha em controlar os paroxismos de ortodoxia anti-crise.

Sim, eu sei que o mais certo é todos fingirem que está tudo na mesma. Uns serão mentirosos por acção, outros por omissão e alguns ainda por demissão cívica. A vida dá muitas voltas e a política ainda mais. Se optarem por agir com base na mentira, não se admirem se isso vos for relembrado e cobrado.

manguito

É Dia De Festejar (Mas Com Calminha)

Há ainda diversas “variáveis” a ter em conta, desde o contra-ataque de um PS acossado e isolado, perante uma derrota na luta contínua com os professores, seus inimigos de estimação há mais de uma década, até ao tipo de selfie que o “professor” Marcelo quererá tirar nesta questão (segurar um Costa em plano inclinado até ao limite ou lavar daí as mãos?), não esquecendo a “operacionalização” da recuperação do tempo que não pode ser feita de um modo que leve a ultrapassagens em série. E seria muito bom que algumas figuras não aparecessem já a reclamar a 372ª vitória desde a viragem do milénio, porque, assim a uma primeira vista é capaz de serem menos umas 370.

Shin Chan

 

Fumo (Quase) Branco!

Contagem integral do tempo de serviço dos professores está garantida

(…)

O PSD garantiu nesta quinta-feira que considera “essencial” que a Assembleia da República proceda à “correcção do tempo de serviço congelado”, subindo os dois anos, nove meses e 18 dias aprovados pelo Governo para os nove anos, quatro meses e dois dias exigidos pelos professores e que corresponde à contabilização integral do tempo de serviço.

A garantia foi dada pela deputada do PSD Margarida Mano no início da sessão da comissão parlamentar da educação, onde serão votadas as propostas de alteração ao Governo, que apenas garante a contagem de cerca de três anos. A deputada excluiu contudo a hipótese de votar prazos concretos para que a contabilização seja feita, conforme proposto tanto pelo BE, como pelo PCP.

Mas tanto a deputada Ana Mesquita, do PCP, como Joana Mortágua, do BE, também deram conta, a abrir a reunião, que estarão nesta votação “sem qualquer intransigência”, sendo que o fundamental para si é que também seja garantida a contagem integral do tempo de serviço.

“O nosso compromisso é com os professores e estes não nos perdoariam qualquer sectarismo”, disse Joana Mortágua. 

Actualização:

Pelo PS, o deputado Porfírio Silva alertou que a Constituição proíbe que sejam aprovadas pelo Parlamento propostas que aumentem a despesa prevista no Orçamento de Estado, à semelhança do que o ministro das Finanças também já tinha avisado nesta terça-feira, quando foi ouvido na comissão parlamentar da Educação.

Em causa está a possibilidade de a recuperação dos cerca de três anos já autorizada pelo Governo ser aplicada este ano a todos os professores em vez de apenas aos que forem promovidos em 2019 por via do descongelamento das carreiras, conforme aprovado pelo Governo.

Para evitar um alegado risco de inconstitucionalidade, o PSD e o CDS já anunciaram que vão propor uma alteração ao que tinham inscrito a este respeito nas propostas iniciais que apresentaram. Isto apesar de o PSD insistir que o Governo tinha garantido previamente que a contagem dos cerca de três anos estava prevista no Orçamento de Estado para 2019.

Falta o “professor” Marcelo e eu ainda me lembro de há unsanos (Março de 2011) o Cavaco ter lixado com toda a força um acordo parlamentar com esta configuração sobre a add.

Gatoespreitar

As Duas Perguntas Que Tods @s Senhor@s Deputad@s Da Comissão Evitaram Fazer A Mário Ronaldo Centeno De Harvard Y Eurogrupo

  • Qual a quantia que fica(ria) do lado da “receita” nos cofres do Estado com a recuperação do tempo de serviço docente (total ou parcial)?

  • Qual o aumento da receita fiscal provocado pela progressão salarial dos docentes para escalões que implicam um acréscimo da taxa do IRS?

Não me parecem questões especialmente difíceis, mas há quem tenha preferido deixar o ministro das Finanças desfilar uma demagógica lista de comparações, a mais vergonhosa delas a relacionada com as reformas.

Porquê?

Porque estamos em tempos de “jogo político” à espera das eleições europeias e não sei até que ponto as votações dos próximos dias não serão apenas “tácticas”.

Macacos

Até Ao Infinito E Mais Além!

Centeno baralha, volta a dar e saem-lhe seis ases numa mão de cinco cartas.  Já vai em 800 milhões. Sinceramente, acho que não vale sequer a pena uma pessoa perder tempo com tanta desonestidade, quando se falta só em “despesa” e se omite – já me caso de o repetir – esse aumento de massa salarial provocaria naturalmente um aumento da receita fiscal, fora o que fica logo retido. O homem mente com todo o perdigoto que consegue.

“Considerando os nove anos, quatro meses e dois dias, até 2023, 35.500 professores atingiriam o topo da carreira, e, nos últimos dois escalões, estariam 50% dos professores. Os 800 milhões de euros de despesa adicional, com progressões, representariam 4% de toda a massa salarial do Estado – 4% adicional”, explicou o ministro das Finanças.

A reposição do tempo na íntegra seria, nas palavras de Centeno, “uma irresponsabilidade” para o país, porque fazê-lo significaria “três anos de aumentos de salários do Estado, à taxa de inflação” ou “o mesmo que repor a sobretaxa”, ou ainda “aumentar o IVA em um ponto percentual”. Nesse sentido, repor na totalidade o tempo congelado aos professores é “equivalente ao que, nesta legislatura, foram as decisões sobre os aumentos nas pensões durante quatro anos”.

To Infinity And Beyond