A Sério?

Se o pessoal que está a gravar “lições” para nova telescola vai receber horas extraordinárias (como ouvi por aí, só a título de exemplo, em relação a uma certa escola muito costista, depois de ter sido muito rodriguista), o que recebe quem esteve dias inteiros ao computador em tele-trabalho a sério ou que anda na pausa pascal em reuniões consecutivas?

Reparem… não acho mal que recebam… pelo contrário, acho muito bem. Não venham é certas almas depois para o facebook dar lições de moral aos outros sobre ética no trabalho durante a pausa lectiva.

Não entrou na série “Phosga-se!” porque ainda espero informações adicionais. E confesso estar ansioso por ver a inovação no conteúdo e forma. Prá aprender.

Surprise

Phosga-se! – Série “CGA”

Ao que parece as aposentações demoram e demoram, porque as secretarias dos agrupamentos são inundadas com pedidos de informação que, em termos teóricos, seriam consultáveis nas bases detalhadas que o ME já tem sobre os docentes, mas parece que não dá. E, com os agrupamentos, a “fusão” de arquivos nem sempre é a que permite ter toda a informação detalhadas sobre os idos de 80 ou 70.

Enquanto espero por um mail mais explícito, atente-se no seguinte:

Aposentação e Reforma <cga.instrucaodeprocessos@cgd.pt>

Exmos Senhores

Para instrução do processo de MARIA XXXXXXXX XXXXXXXX XXXXXXXX, solicita-se declaração de efetividade, onde constem:

 – Datas de início e fim de todos os períodos de serviço prestado, em cada ano;

 – Se no(s) período(s) indicado tinha horário completo e, em caso negativo, qual o número de horas de serviço semanal que lhe estava distribuído;

– Se prestou serviço ininterruptamente e, em caso negativo, qual o nú­mero de fal­tas dadas, com perda total da respetiva remuneração;

– Vencimento ou salário ilíquido no fim de funções, com indicação do escalão, índice e respetivo regi­me;

– Cópia do boletim de inscrição;

– Cópia do registo biográfico.

Solicitamos urgência na resposta.

Com os melhores cumprimentos,

A parte que destaquei a vermelho tem um “ligeiro” problema… as faltas com perda total da remuneração podem corresponder, por exemplo, a dias de greve. Ora… parece que essa inquirição, pelo que me foi dito, surge de forma explícita em outras solicitações.

Scream

 

Phosga-se! – Série “E Quem Diz Que Não Há Quem Já Ande A Preparar O 3º Período?”

Era para publicar só amanhã, mas como quero ver se faço uma certa dieta digital, fica desde já aqui o ponto 12 de uma comunicação de um director às suas “tropas” ao fim do dia de ontem.

Complementando a informação já existente, relativa à planificação da atividade dos conselhos de turma no 3º período chama-se a atenção para a leitura da orientações enviadas por e-mail, produzidas pela administração – Plano de E @ A (ensino à distância)- adequado aos recursos disponíveis e ao público alvo. Mais se informa que até ao dia 2 de abril deverão os DT’s fazer chegar ao coordenador e ao diretor do agrupamento o plano elaborado na sua turma, registar as aulas presenciais no calendário TEAMS (bastará fazer uma semana, indicando a periodicidade com que se repete (semanal). Caso não se consiga concluir o referido plano, alerta-se para a marcação de reuniões de trabalho durante a pausa da Páscoa.

As Medalhas do General2

 

Phosga-se – Série “Já Não Sei Que Diga Disto”

Eu preferia não saber que já entrámos neste nível de “retórica bélica” na comunicação interna de um agrupamento do sul do país. A seguir ao relato da vídeo-reunião com o SE Costa, vem isto:

Posto isto, quais serão então as orientações que tenho para todos vocês, em geral:

1 – Em primeiro lugar será necessário que todos entendam que estamos em modo de “cadeia de comando do tipo militar”, enquanto estivermos a montar a nova organização do agrupamento.  Quer isto dizer que toda a gente tem um comando de proximidade e só dele e a ele, receberá ou dará informações. Doutra forma, corremos o risco de começar a ver circular informação e contrainformação que só provocará angústias, stress e desorientação. Todos, de uma forma geral, já devem ter  entendido quem é a vossa voz de comando, pois têm recebido instruções de realização de algumas tarefas e inquéritos na última semana. A Direção será sempre um elemento de comando, como é lógico. Fiquem descansados porque , para quem não sabe, fiz toda a minha formação escolar incluindo a superior, em estabelecimentos de ensino militar, pelo que não me é totalmente estranha esta forma de comando, mesmo que não seja a  que utilizo, normalmente, no meu dia a dia.

2 – Assim, a primeira ordem é que não devem utilizar o email do agrupamento para fazer chegar seja o que for a todos os professores do agrupamento. Essa função será minha ou de quem eu nomeei para o efeito. Reparem que os documentos que chegam como recomendações do ministério têm que ser adaptados à nossa realidade e não podem aparecer na mão de toda a gente sem orientação mais específica para o seu ciclo ou nível de ensino, sob pena de cada um estar a desperdiçar tempo e trabalho sem necessidade.

3 – Hoje seria o último dia de aulas do nosso calendário escolar, seguindo-se a interrupção das atividades letivas entre 30 de março e 13 de abril. E é neste sentido que devemos apenas enviar aos nossos alunos , algumas tarefas que possam realizar de forma autónoma, sem necessidade de grande  acompanhamento, por parte dos pais e dos professores. Tarefas que apelem à leitura, ao jogo, à criatividade e ao desenvolvimento da autonomia. Coisas muito simples, de modo a que  eles sintam que já estão na altura cronológica das férias escolares, mesmo que continuando em casa. Aos alunos do ensino secundário (regular e profissional) ,  para as disciplinas sujeitas a exame nacional e para algumas UFCD que possam estar mais em atraso, poder-se-á ajudar um pouco mais os alunos a cumprirem as aprendizagens necessárias à conclusão do seu ciclo de estudos.

Aguardem todos  por um mail da vossa cadeia de comando que vos será enviado muito brevemente, com indicações mais precisas.

4 – Procurem vocês professores, durante esta interrupção, organizar um pouco as vossas vidas familiares, pois todos sabemos que vai ser longa esta etapa da nossa vida. Tentem fazer alguma formação nestas áreas do ensino à distância e noutras tão importantes que há muito tempo ansiavam ter tempo para frequentar. Não faltam agora oportunidades de formações  online. Precisamos de vos ter de volta, preparadíssimos para os novos desafios que iremos enfrentar  em Portugal (eu diria mesmo, no mundo) no pós Coronavirus.

grito

Phosga-se! Série Especial “Estamos On”

1. Identifique a turma (ano e letra(s)) [sic]

2. Houve informação aos alunos sobre o cronograma de trabalho em contexto virtual, como horários pré-estabelecidos?

3. Foram promovidas sessões de formação a [sic] distância ou disponibilizados recursos para autoaprendizagem dos docentes?

(…)

Como se define um cronograma sem se saber com que prazos lidamos?

E continua assim até ao nº 18… no Microsoft Forms, claro.

grito2

 

 

E Lembrem-se Que No Sudão Do Sul Não Há Quase Água Canalizada E Electricidade, Por Isso, Trabalhem E Calem-se!

Tenho alguma dificuldade em lidar com estas mentalidades “inclusivas”. Mas lá porque há quem esteja pior, os outros devem calar-se? Sim, na guerra, os soldados estão na linha da frente, mas na rectaguarda nem se pode piar?

É aqui que se percebem algumas limitações… digamos assim… na forma como a liberdade de expressão e a democracia são encaradas ao primeiro solavanco. E que tal eliminarmos as notícias sobre tudo o que corre menos bem? Em nome do Interesse da Pátria?

O grupo é del@s, claro, fazem as regras de etiqueta que entenderem, mas ao menos cuidem melhor da justificação.

Rolha

Phosga-se! – Série “Professores”

Saquei os dois excertos abaixo ao mural do Ricardo Santos que retirou a identificação de quem escreveu estas pérolas.

Comecemos pela parte da arrogância, típica de quem vive num casulo em que a “inclusão” se enuncia mas não se pratica e em que as desigualdades são um mito. Não têm? Tivessem! Se não têm, é porque são uns inúteis ou desocupados.

Crazy

Mas há pior (se é possível) que é quem acha que pode exigir aos outros, mas depois nem consegue perceber como se faz a concordância entre um sujeito no singular e um predicado no plural.

Crazy1

Sim, os tempos de emergência estão a fazer cair o verniz a muita gente. Há os que sinceramente acreditam em algumas coisas, mas há quem tenha apenas falhas evidentes de carácter.

E não se admirem se forem daqueles que também querem um “novo paradigma” para a carreira docente e já estejam em bicos de pés para certos cadeirões e com a gadanha na mão para fazerem uma “limpeza”.