Pensamentos Da Pandemia – 23

Não é que tenha assim tanto tempo, mas estou a ter de rearrumar pertences, decidir o que vale a pena manter e o que que não merece isso ou, no máximo, ir parar à garagem. Percebo que não tenho jóias, ouros, acções valiosas ou coisas assim. Tenho uns milhares de livros e outros milhares de revistas e  (ainda, garanto que sim) jornais. E se é verdade que encontro outras razões para esta mania, também é evidente que este gosto por livros resulta de uma ânsia (e prazer) por saber ou aprender (ficção ou não ficção) o que outras pessoas têm para ensinar ou comunicar. E espanta-me sempre quem prescinde disso e acha que a conversa fiada pode servir como substituto.

livros

Aproveitem

As temporadas 5 e 6 estão disponíveis no Fox Crime e só espero que coloquem todos os episódios (são de hora e meia) até à 9. Após 3 reuniões virtuais quase presenciais (ou não), claro.

A seguir, na mesma linhagem, veio a excelência absoluta do Endeavour, mas esta é uma excelente forma de passar uma tarde cinzenta em confinamento. E atentem na banda sonora das séries, que é excepcional.

 

Ano Novo, Leituras Novas

Embora uma delas seja originalmente ainda do século XX.

IMG_2383

Uma espécie de guião para as próximas semanas acerca de algumas das preocupações que transbordam da discussão agora em voga se a “inovação ” se faz melhor com pufes ou cadeiras com rodinhas.

Sim, são leituras mais à canhota do que às direitas.

Já agora, porque será que por cá as publicações de malta de esquerda são quase sempre pensadas, em termos de formato e preço, para as elites vanguardistas e não para as massas? Porque não há cá nada disto? O mais próximo são os ensaios da FFMS, mas há quem diga que coiso e tal e desdenhe. Há por aí editoras todas progressistas, mas que que parecem mais seduzidas pelo mercado que os neo-capitalistas eles mesmos.

Já Vos Contei A Minha Teoria Sobre A Ficção Científica?

Penso que não e acreditem que não sequer se destina a chatear ninguém, apesar de quem se possa sentir visado. É só porque hoje arranjei mais uns clássicos, como se fossem da Argonauta, mas sem as más traduções. Que não se confunda a boa, velha e clássica FC com adaptações do Star Wars ou coisas quejandas.

Vamos lá então:

  1. Nunca leu FC:
    1. Nunca teve oportunidade. Está (quase) desculpado.
    2. Se teve oportunidade, mas recusou por preconceito, aguardam-no as penas eternas do Inferno.
  2. Já leu FC:
    1. Mas não gostou, porque não consegue encaixar aquilo na sua forma de pensar. Está destinado a ocupações como pedabobo do século XXI ou conceptualizador de grelhas para registos diversos.
    2. Mas não gostou, porque acha que aquilo é só para putos e gente sem bom senso. Lamento informá-lo, mas faleceu e não lhe mandaram mail ou sms a comunicar-lhe o facto.
    3. Gostou, mas acha que há uma idade para tudo e agora é tempo para literatura a sério. Lamento, mas entrou de forma precoce na senilidade e agora já não há remédio.
    4. Gostou e dá-lhe sempre prazer revisitar alguns dos clássicos (Asimov, Bradbury, Clarke, Dick, Farmer, Heinlein, Herbert, Le Guin, Simak, Vonnegut, etc)  ou explorar alguns dos novos autores. Parabéns, os seus neurónios ainda não morreram e aposto que não precisa de formações em tolerância e flexibilidade intelectual.

IMG_2218

Leituras de Verão

Porque o tempo escasseia e há que limpar as sinapses. Até porque o Norma da Sofi Oksanen (que há uns dias por aqui sugeri) é daqueles difíceis de digerir. Quanto a escrita, nos próximos dias talvez apareça um texto que me deu bastante gozo escrever para o Público acerca daqueles que considero três dos mais graves défices do nosso sistema educativo.