Engodo

Depois do claro e inequívoco apoio de António Costa à recandidatura de Marcelo, num espírito de equipa que nada quebrará, há quem ande a tentar que Ana Gomes faça de Manuel Alegre ou, ainda mais improvável, de Sampaio da Nóvoa. A ideia não é tanto apresentar seja quem for “da área do PS”, mas sim daquela área à esquerda do PS que gostaria de ter um candidato como Jorge Sampaio e não o terá tão cedo. A candidatura de Ana Gomes é para a queimar ali nos 20% de votos, mesmo que tenha o apoio do Bloco, pois o PCP tem quase sempre um novo Octávio Pato e deve aparecer um qualquer candidato ali da zona liberal-conservadora (em Portugal, a teoria política é singular). Uma candidatura de Ana Gomes seria ideal para o próprio Marcelo, desejoso de um plebiscito nacional, mas ao mesmo tempo a necessitar de um@ oponente vagamente ameaçador@ a quem possa com paternalismo afectuoso. Uma candidatura para perder com “dignidade”, esse oxímoro quando surge ao mesmo tempo que a expressão “política nacional”.

marcelo-rebelo-de-sousa-borat

Pré-Presidenciais

Com um Marcelo todo encostado a António Costa (porque, mesmo quando se desencosta, não é isso que parece), não me admira muito que o Ventura Ventoínha chegue a dois dígitos. Isso é preocupante? Só na medida em que o actual presidente parece, no essencial, um prolongamento do actual governo na defesa da “estabilidade” e pouco se distinguindo de qualquer outro PR à espera do plebiscito para o segundo mandato.

fantasma

(o Pinheiro de Azevedo e o Basílio Horta, quando ainda era da facção mais direitista do CDS, tiveram mais de 14%)

 

Pelos States

“The reason I believe we are going to win, is that we have an unprecedented grassroots movement, from coast to coast, of millions of people,” Sanders told a raucous crowd at his election night party. “The reason that we are going to win is that we are putting together an unprecedented, multi-generational, multiracial political movement. This is a movement from coast to coast, which is demanding that we finally have an economy, and a government that works for all of us — not wealthy campaign contributors.”

Bern

França

Ganhou Macron pelos números esperados. Quem acha que esta segunda volta apresentou dois candidatos igualmente maus poderia fazer o esforço por nos explicar porque se chegou a tal estado. Essa explicação torna-se mais difícil para quem critica o sistema central e rotativo de governança que implodiu. E porque a extrema-direita é o quadrante político que mais cresce em 20 anos. E porque agora seriam melhores aqueles que permitiram isso. Como o desastre que foi o Hollande.

Macaron

Por França um Quase Empate a Quatro

Présidentielle 2017 : Macron et Le Pen qualifiés, Fillon et Hamon appellent à voter Macron

Selon une nouvelle estimation Ipsos-Sopra Steria pour « Le Monde », le candidat d’En marche ! obtiendrait 23,9 % des voix et celle du Front national 21,7 %. Ils devancent François Fillon (20 %) et Jean-Luc Mélenchon (19,2 %).

Asterix-26

E Ele Ganhou

Já posso dizer que no meu tempo de vida caiu o muro de Berlim e agora isto.

trumpÀs 3 da manhã, desisti. Entre os resultados e as análises dos nossos politólogos-tudólogos ensonados, apenas a cumprir os mínimos para as sinergias do grupo ou para justificar a avença, tudo era demasiado deprimente e revelador do completo desajustamento entre algumas elites bem-pensantes e o tal povinho que é o que é porque o fizeram assim essas mesmas elites.