Para Memória Futura

O Ministro disse que também vai ser avaliada a redução do trabalho administrativo dos professores, desde logo dos diretores de turma, começando por proceder ao levantamento das tarefas dos diretores de turma, identificando redundâncias e “tudo aquilo que não tem utilidade, tarefas administrativas que não se transformam numa melhoria do trabalho junto dos alunos”.

Ou Não!

Os professores e funcionários das escolas vão ser testados ao vírus SARS-CoV-2 no início do 2.º período, de acordo com informação divulgada pelo Ministério da Educação que antecipa que o processo esteja concluído até ao final da segunda semana de aulas.

Isto faz lembrar aquelas obras que são anunciadas… depois anuncia-se o concurso… depois lança-se o concurso… depois anunciam-se os resutados do concurso… depois lança.se a primeira pedra… depois…

Pelas minhas bandas ainda só soubemos do anúncio, portanto… lá para o Carnaval levaremos com a pedra.

Como É Que Diz Que Disse?

A sério, sério, sério ou depois dá-lhes uma amnésia ou coligam-se com o CDS e os Liberais e ainda acabamos a ter de devolver o pouco que recuperámos e a idade da reforma passa para o dia em que se fica paralítico?

Recuperação do tempo de serviço dos docentes para efeitos de aposentação, despenalizando as aposentações antecipadas e majorando o valor das respetivas pensões.

Tanto Milhão Anunciado!

Este anúncio já tem quase dois meses, mas continuamos com net do 3º mundo nas escolas. Resta saber quem vai embolsar a parte generosa da fatia.

O Presidente da Estrutura de Missão, Fernando Alfaiate e o responsável pela Secretaria Geral da Educação e Ciência, Raúl Capaz Coelho, assinaram na quinta-feira (30 de setembro) a contratualização do financiamento de 272 milhões de euros para uma das componentes da Transição Digital na Educação. O investimento visa “assegurar o fornecimento de conetividade à internet de qualidade às escolas, e criar condições para a melhoria e utilização generalizada de recursos educativos digitais, incluindo nos processos de avaliação, bem como para a gestão eficiente do processo de transição digital no sistema educativo.”

Quero Ver Isso…

… mas é melhor encomendar um cadeirão confortável.

Como colegas contratados com 40-45 anos e mais, apesar da falta de professores em alguns grupos, tenho sérias dúvidas se isto é para levar a sério ou se será mais uma daquelas medidas feitas “à medida” de alguns.

A secretária de Estado da Educação Inês Ramires revela em entrevista as ideias do Governo para mudar a forma de colocação dos professores e os estágios. Quanto à contratação directa pelas escolas, só avançará em situações muito específicas.

Sábado – Dia 34

Quanto às promessas de o regresso ser feito só após “testagem maciça” nas escolas, percebe-se que são para arrumar com aquelas de haver computadores e banda larga móvel para todos os alunos e professores no início deste ano lectivo. Foi algo para preencher a agenda política, iludir a opinião pública e merecer o aplauso da tal opinião publicada, que tanto se cansa de escrever com ruído familiar ao fundo.

Como?

Se para a semana volta o regime presencial no pré e 1º ciclo, a testagem “massiva” vai ser feita no fim de semana? Já sei, os testes rápidos não são a coisa mais eficaz ao cimo da Terra, mas, sempre seria qualquer coisa, mesmo se transmitem uma falsa sensação de segurança. Só que, como em tanta outra coisa, ao anúncio de que a testagem seria feita, seguiu-se muito pouco. As tabelas em excel do pessoal a ser testado seguiram na 3ª feira, mas amanhã a semana termina. Onde estão as dezenas e dezenas de equipas móveis necessárias para que a testagem não passe de retórica propagandística para consumo mediático?

De que adiantam estes anúncios que, de forma repetida, não têm correspondência na prática? Como anunciar que os professores passam para a 1ª fase da vacinação (muito bem), quando não há vacinas para cumprir a promessa em tempo razoável?

Não Ando Com Pachorra Para Isto

Em Abril passado anunciou.se conectividade móvel para toda a gente no início dom ano lectivo. Pelos vistos, lá para o fim do ano haverá não sei bem o quê. Até lá temos uma rede de ensino remoto de emergência com infra-estrutura privada do lado da maioria dos alunos e da qu8ase totalidade dos professores. Outra vez.