A Municipalização Por Lisboa

Nem era para fazer post, mas achei graça à notícia feita a partir da Lusa. Repare-se nesta passagem:

O documento, apreciado em reunião plenária, contou com os votos contra do BE, PEV, PCP e de um deputado independente, a abstenção do PAN, MPT, CDS e de um deputado independente, tendo as restantes forças políticas e eleitos independentes votado favoravelmente.

Mas quem são as “restantes” forças políticas?

O vereador responsável pelo pelouro da Educação, Manuel Grilo (BE — partido que tem um acordo de governação da cidade com o PS), apresentou na terça-feira, em reunião privada do executivo, uma proposta para rejeitar a transferência das competências na área da educação, documento que foi chumbado com os votos contra dos socialistas e dos sociais-democratas.

Pois… eu vou poupar o Manuel Grilo a algum sarcasmo, porque dizem que ele já desgosta suficientemente de mim.

centro-politico

 

A Máquina Em Movimento

Ia escrever um título mais ácido envolvendo metáforas sexuais e vaselina, mas consegui conter-me.

Sem nunca falar em concreto do PSD, do CDS ou do PCP, o líder do PAN, André Silva, criticou nesta quinta-feira as três forças que considera serem as “mais conservadoras e menos progressistas” do Parlamento e que têm estado “de costas voltadas” para as pessoas. Já o PAN, frisou, tem uma “mundivisão diferente dos partidos tradicionais” que continuam a fazer política de uma forma que “atrai cada vez menos pessoas”.

Vaselina

(o autor do blogue esclarece que não recebeu qualquer subsídio à publicação por parte da marca apresentada, ao contrário de outras coisas que andam por aí…)

Crónica De Uma Palhaçada – 4

Afinal, para que andou o camarada Mário a ter um “desvio de Direita” e a pedir que se abstivessem? É só a mim que cheira a esturro?

António Costa resiste a decretar o fim da crise. PCP e BE chumbam travão orçamental e medida cai

A solução para a crise sobrou para as mãos do PCP, que esta segunda-feira à noite revelou que o partido irá chumbar as propostas do PSD e CDS. Com isso, fica dado o ponto final na medida que poderia provocar a queda do Governo.

malandro

E Por Falar Em Mudanças de Paradigma

Janeiro de 2018:

Recusar as PPP, travar o subfinanciamento crónico do SNS, valorizar os profissionais e utentes

Abril de 2019:

“Mantemo-nos num quadro de discussão na especialidade e não transformamos isso [o fim das PPP] no alfa e no ómega das alterações à Lei de Bases, sendo uma questão relevante num processo que ainda está a decorrer”, disse Jerónimo de Sousa, que, no parlamento, não escondeu que ainda esta sexta-feira decorre uma “reunião” sobre esta matéria.

Aos jornalistas, o líder comunista garantiu que ainda há trabalho a fazer e que existem outras matérias que precisam de ser negociadas. “Não há trabalho acabado, não temos uma posição fechada. Mas, em conformidade com o que for traduzido na proposta, decidiremos, porque não é o único problema em cima da mesa nesta proposta”, afirmou.

eppursimuove

(com a “municipalização” já tinha dado para ver que a ortodoxia é por fora…)

Duas Crónicas Lúcidas

De Pacheco Pereira e Eduardo Dâmaso na Sábado desta semana. Publico dois excertos, embora as crónicas mereçam leitura integral (sendo especialmente divertida a forma como PP relata a forma como a comunicação social distorceu por completo a sua ida até ao piquete de greve dos motoristas).

O primeiro de PP sobre a solidão dos grevistas perante uma comunicação social adversa e rendida ao discurso do poder.

IMG_0758IMG_0759

O segundo de ED sobre a forma indecorosa como a classe política (parlamentar, neste caso) se encerra sobre si mesma num casulo de excepção e inimputabilidade.

IMG_0760IMG_0761