Estou A Modos Que Coiso…

A situação tem o seu quê de caricato, confesso, mas quem acha que se pode dar TIC apenas com uma qualquer acção de formação feita (e nem sequer uma medalha olímpica) está pronto para tudo.

Professores de Educação Física indignados pela funcionária municipal Manuela Machado dar ‘aulas’ de atletismo!

O que também me incomoda mesmo muito é o medo demonstrado em assumir as coisas. O que receiam? Perder o apoio para certas atividades?

Os signatários, que solicitaram a confidencialidade das suas identificações, afirmam que «estamos a entrar no segundo período do ano letivo e seria uma enorme insensatez da nossa parte permitir que os próximos voltem a funcionar nos mesmos moldes. Nem nesta, nem, eventualmente, noutras regiões do País».

Aguardem pelo avanço da municipalização e aposto que até o sobrinho do vizinho do senhor autarca poderá dar música a todos.

Não sei se ria, se chore.

LAughing

6ª Feira

É sempre preciso ter em conta que não estamos a lidar com gente séria. Não é “populismo” ou “demagogia” denunciar a “elite” política, em particular a que governa de forma formal ou informal, por se ter tornado essencialmente desonesta. Hoje é dia de apresentar como uma espécie de dádiva o descongelamento de carreiras e as progressões que daí resultaram. O que o Tribunal Constitucional, embora de forma timorata, considerou ilegal e apenas admissível de forma temporária, parece ter sido interiorizado por alguma comunicação social como sendo algo “normal”. E a classe política cavalga isso para dar a entender que os professores terão progredido nos últimos anos graças à sua enorme generosidade.

Chegaram 6000 ao topo da carreira? Mas ganham menos, agora, em termos líquidos, no índice 370, do que há quinze no 340. E de acordo com as regras do ECD, legislado pela “reitora” que recusou fazer a sua add, muitos mais ficaram barrados de lá chegar. Progrediram 45.000? Acredito. Mas deveriam ter sido muito mais e, em vez de um ou dois escalões, deveriam ter progredido três ou quatro.

Ok… noticiam-se “factos”. Pena que se transmita a sensação de isto serem “benesses” ou mesmo “conquistas” quando não passa da tentativa de legitimar os danos causados e as graves perdas verificadas.

Pura e simples bullshit.

Turd

5ª Feira

Há dias assim, multifunções. Preparar auditório com as colegas e alunos para peça de teatro (implicando carregar cadeiras, escada acima, escada abaixo *, andar em busca de cabos para colunas de som, fazer contas a “bilhetes” recolhidos pelas ditas colegas nas suas turmas), acompanhar a dita cuja, beber um sumo, ir dar aulas de História, comer uma bucha (comigo é sempre uma fase importante), reunir com encarregados de educação. Nada de muito diferente de milhares de colegas todos os dias. Sempre com alguma sorte pelo meio em termos humanos. Mas, como eles, com a sensação de que uns expertos acham que fazemos pouco, mal, rígido (não flexível, portanto), parado no tempo, estanque (não inter/trans, portantossss), sempre o mesmo, como no século XIX. E que conseguem ter megafones para espalhar esse tipo de mensagem tóxica. Mas, como disse, tenho talvez mais sorte do que a média em alguns aspectos.

82330616_1407173966128625_8440903221148385280_n

(* “limpando” de cadeiras a sala errada para desespero de uma colega inocente)

Uma Das Coisas Boas Da História É Que Está Sempre A Acontecer…

… e este ano posso apimentar a história da Reforma protestante, em especial da cisão anglicana, não só com os problemas conjugais das mulheres do Henrique VIII mas também com o Brexit e toda a confusão do backstop na fronteira entre as Irlandas. Claro que implica que os alunos tenham ouvido falar no Brexit, o que está longe de ser um dado adquirido. Mas é sempre engraçado explicar um dos principais problemas europeus dos tempos actuais com base numa coisa tão árida para a maioria deles como a Reforma.

sixwives