Numa Escola Modelo Por Aí

Daquelas em que o director se arma em inovador emproado, sempre com o número do governante certo no bolso, para 1que nada entrave o futuro pufento. Recebem-se as reclamações relativas à add, mas não se dá resposta até haver assim como que um “lote” e depois a SADD reúne-se para decidir por atacado, através do método comparativo. Tudo ilegal e não é só quanto aos prazos, mas sempre com as costas bem quentes, claro.

E quem critica é porque não sabe, não percebe ou é má-língua.

E Não É Que Publicaram Isto No 1º De Abril?

Resolução da Assembleia da República n.º 108/2021

Sumário: Recomenda ao Governo que garanta condições para o ensino misto e não presencial, utilizando recursos do plano para a transição digital.

Recomenda ao Governo que garanta condições para o ensino misto e não presencial, utilizando recursos do plano para a transição digital

A Assembleia da República resolve, nos termos do n.º 5 do artigo 166.º da Constituição, recomendar ao Governo que:

1 – Assegure que os alunos e as alunas do 1.º ciclo do ensino básico, os beneficiários da ação social escolar, as crianças e jovens com necessidades educativas especiais/específicas (abrangidas pelo Decreto-Lei n.º 54/2018, de 6 de julho) e as crianças e jovens em risco têm um acompanhamento social e pedagógico presencial, nos termos definidos pela Resolução do Conselho de Ministros n.º 53-D/2020, de 20 de julho.

2 – Garanta, junto das operadoras de telecomunicações, que todo o território nacional tem cobertura de rede de alta velocidade.

3 – Assegure que todos os alunos e todas as alunas dos ensinos básico e secundário beneficiários dos escalões A e B da ação social escolar, assim como outros alunos identificados pelas escolas, têm acesso a um tráfego gratuito de Internet adequado às sessões letivas em videoconferência e a outras atividades no ensino misto e não presencial.

4 – Distribua computadores e acesso à Internet aos alunos e às alunas dos escalões A e B da ação social escolar que frequentam a escolaridade obrigatória no ensino profissional e no ensino artístico em instituições do setor privado e cooperativo financiadas ou cofinanciadas com dinheiro público.

5 – Crie um desconto temporário nas faturas das telecomunicações para todos os agregados familiares com estudantes dos ensinos básico e secundário até ao escalão 3 do abono de família, enquanto não for implementada uma tarifa social de Internet com a mesma abrangência.

6 – Elabore, com urgência, um programa de reembolso de despesas dos docentes dos ensinos básico e secundário da escola pública com a aquisição de material informático destinado a assegurar aulas em regime não presencial e misto.

Aprovada em 11 de março de 2021.

O Presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues.

I Fought The Law

Tem uma dimensão muito irónica ver e ouvir António Costa a afirmar que “lei é lei”, que a Constituição é uma espécie de sal da Terra e luz do Mundo e ainda algo como a “incerteza legislativa produz insegurança” e outras pérolas em alguém que chefia um governo que atropela leis como modo de vida, incluindo algumas que legislou ou que faz interpretações especialmente criativas de passagens bem claras.

(lembro-me sempre daquela interpretação legal que “fundamenta” os indeferimentos dos pedidos de escusa de avaliador externo e que alarga o conceito de participação nas actividades de avaliação da escola à participação na avaliação de docentes de outras escolas…)

Da Arte De Arranjar Ninho

Se formos estando atentos, é raro o passarão que passa pela Educação que não ande em busca de ninho. Nos últimos anos, a representação da parentalidade tem rendido. E o Centrão lá pelos nortes gosta de os seduzir, porque sabem que eles resistem pouco às tentações. É o que consta.

Líder da Confap é o candidato do PSD à Câmara de Gondoma

Já Era De Esperar

Pode ser o “cansaço”, mas também é o início das mensagens confusas de alguma opinião publicada e televisionada. O simpático de Cascais abre o paredão… já pode haver surf. Daqui a um par de semanas está tudo no bronze.

“O aumento da mobilidade é uma tendência crescente que se tem vindo a verificar desde o encerramento das escolas “, a 21 de Janeiro, observa o especialista em análise de dados da PSE Nuno Santos. A consultora contabiliza todo o tipo de deslocações, sejam a pé ou em transportes. E depois de um período inicial em que as saídas de casa sofreram um decréscimo significativo, precisamente por causa do fecho dos estabelecimentos de ensino, os portugueses estão não só a voltar à rua como a fazê-lo mais vezes e por períodos de tempo mais prolongados, porque começaram a arriscar ir para mais longe.

No primeiro sábado após o fecho das escolas houve três milhões de portugueses na rua. É o dia da semana que as pessoas aproveitam para fazer compras, e que por isso sempre registou, mesmo antes da pandemia, mais movimento que os domingos, muito embora fique muito aquém do perfil dos dias de semana.

6ª Feira – Dia 19

Há um par de dias, no contexto da preparação do debate sobre a renovação do estado de emergência, o ministro da Administração Interna culpou os portugueses pela degradação da situação pandémica no mês de Janeiro. Algo parecido já tinha sido feito umas semanas antes por outro ministro (o da Economia) num exercício muito habitual em políticos que, perante adversidades, optam logo por se desresponsabilizar de tudo o que acontece. Quando as coisas correm bem, apressam-se a aparecer a colher os foguetes e louros e a anunciar festividades onde se distribuem palmadinhas nas costas à discrição.

O Nu A Defender O Roto

Claro que acha isso, pois se assim não fosse, já viram o que teria sido dele, tardio arrependido de muitos disparates, quando era o avô cantigas do PS a usar as vestes de impiedoso e vermelhusco inquisidor? Gentinha sem vergonha nenhuma.

Vital Moreira sai em defesa de Caupers. “Opiniões do passado não podem ser sujeitas ao juízo condenatório da uma nova Inquisição”

Não Ando Com Pachorra Para Isto

Em Abril passado anunciou.se conectividade móvel para toda a gente no início dom ano lectivo. Pelos vistos, lá para o fim do ano haverá não sei bem o quê. Até lá temos uma rede de ensino remoto de emergência com infra-estrutura privada do lado da maioria dos alunos e da qu8ase totalidade dos professores. Outra vez.