Um Conceito Interessante

Um café onde é possível, numa cadeira específica, voltar ao passado desde que não se saia do sítio e se volte antes do café arrefecer. Sem que seja possível alterar o presente. Mas o futuro, talvez…

Não é uma maravilha em termos especificamente literários (ainda estou a iniciar o segundo de quatro capítulos), mas ao menos é um exercício a partir de uma ideia “inovadora”, no verdadeiro sentido da palavra.

IMG_2165

A Ler

Posso discordar do António Duarte em muita coisa, mas acho que a forma como foi tratado (e por arrasto, todos aqueles que discordam da actual vulgata do Poder Inclusivo) pelo David Rodrigues no fbook não se justifica. O António nomeou com clareza aquilo e aqueles de que(m) discorda e merecia o mesmo. Foi corajoso, mas não lhe responderam na mesma moeda aqueles que confundem a glória do momento com a eternidade. E não deixa de ser curioso que tanto o António, como o Luís Braga e eu sejamos de História e não tenhamos pachorra para este tipo de arrogância.

Um professor “rasteiro” se confessa

finger2

(e depois há por lá umas criaturas comentadoras com traumas profundos contra os blogues, como se o fbook fosse o supra-sumo da erudição em batata doce… realmente, é só darem-lhe um pouco de corda e querem logo linchar quem desalinhe…)

A Ler… Contra A Intolerância “Inclusiva”

Começa a cansar uma certa arrogância que é quase inevitável quando a proximidade do poder inebria e não se sabe exactamente onde fica a linha que separa o debate de outra coisa. Pessoalmente, acho que parte da “elite inclusiva” que por aí anda faz passar por investigação em forma de tese o que, em bons tempos, seriam case-studies que dariam um pequeno artigo de revista. E acho estranho que a defesa contra o que se considerou ser um ataque do António Duarte se tenha transformado num chorrilho de ofensas directas aos professores portugueses que não adiram ao Modelo Único de Inclusão.

Já agora, parte do pessoal que apareceu a ofender, nem sabia ainda o que era dar uma aula quando foi aprovado o “velho” 319, que os coevos tiveram de aplicar das formas mais criativas que conseguiram, sem ter de ser formatados e doutrinados pela acima referida “elite” iluminada.

Sem A Catequese Devida, Andais Todos A Entreter Meninos!

exclama