Mas Ontem À Noite Não Disse Que Confiava Nas Autoridades De Saúde Do País, As Quais Acabavam De Recomendar Que Não Fechassem?

O secretário-geral da Federação Nacional dos Professores (Fenprof), anunciou esta quinta-feira, em conferência de imprensa após reunião de sindicatos de Educação, que o “interesse da Educação” é o encerramento imediato de todas as escolas.

Mas… talvez…

“Reconhecemos, porém, que na decisão a ser tomada haverá outros critérios e outros interesses mais abrangentes, designadamente de saúde pública, que devem ser tidos em conta”, explica Mário Nogueira. “Não temos dúvida nenhuma, e isso foi discutido na nossa reunião, de que o encerramento total de escolas vai acontecer. Só não nos podemos pronunciar e não nos compete a nós dizer qual é o momento. Não nos compete dizer se o momento é este, se é mais à frente ou se já devia ter sido…”

Acho que o vírus é outro.

Parvo

 

O Mário Nogueira Diz Que Confia Nas Autoridades De Saúde Pública

A seguir (SICN) diz mais umas coisas em ziguezague, que me deixam em situação de inconseguimento em relação ao que, afinal, ele acha sobre o assunto. Mas ele não percebe que as decisões “casuísticas” vão criar diversas situações de desigualdade?

Travolta confuso

(e que raio foi aquilo de começar a falar na preocupação dos colegas com as “aulas observadas” que assim deixarão de existir?)

Pois É, Alexandre, Mas Nada Se Resolve Propondo Seguir Modelos Em Falência…

… como certas pessoas fizeram em letra impressa, e até recentemente, com um entusiasmo não partilhado por quem sempre se preocupou mais em “diacronizar” e contextualizar as coisas do quem analistas “sincrónicos”.

Não deixa de ser interessante que algumas análises se “desloquem” do domínio do desempenho propriamente dito para as questões “sociais”. Porque houve um modelo de análise que também faliu.

Mas vai-se aprendendo com a experiência e ainda te hei-de ler a defender que a justiça social e o combate às desigualdades deve começar e terminar fora dos portões das escolas.

Na dimensão social, o sistema educativo português está a falhar. 18 anos depois e governo após governo, o mais grave é que ninguém acredita que este desafio esteja verdadeiramente a ser enfrentado.

profpardal

Pelo Educare

As Guerras do PISA & Manjerona

Esta foi semana de divulgação dos resultados do PISA 2018 e nesta altura, mesmo entre os que publicamente desdenham de rankings, testes e comparações internacionais, há sempre uma dose acrescida de excitação para se tentar perceber quem pode reclamar louros ou a quem se podem apontar dedos acusadores pelos resultados que deveriam ser dos alunos. Como se em períodos de três anos fosse possível fazer o exame rigoroso de políticas que devem ser perspectivadas na longa duração.

pg contradit

Os Resultados Dão Para De Tudo Um Pouco

Curiosamente, parece que os resultados desceram em especial onde não havia provas…

PISA 2018: Desempenho dos alunos cai a ciências e mantém-se a matemática e leitura

Alunos portugueses pioram a leitura e a ciências, mas mantêm-se acima da média da OCDE

Alunos portugueses são os únicos da OCDE a melhorar o desempenho na última década

Apenas sete dos 79 sistemas educativos analisados no PISA tiveram melhorias significativas durante toda a sua participação no estudo internacional. Portugal é o único país da OCDE a registar uma trajetória de evolução positiva.

Confusos?
Não fiquem… todos vão reclamar o sucesso como seu e apontar os dedos aos outros por coisas como:

Avaliação da OCDE: estudantes pobres estão mais longe dos ricos

Mais de um quarto dos alunos portugueses falta à escola

Grafico