Tão Amigos Que Eles Eram

O ministro da Educação poderá ser dos que continuam no governo. Um dos principais objetivos é fácil de perceber: concluir o seu trabalho sujo contra os professores.

Dupla TiagoMário

(pelos vistos, vais comer e calar… mesmo que esbracejes e protestes, passe o paradoxo… até porque vais ter de fazer esquecer que colaboraste dois anos e meio, mais uns meses no final, com esse trabalho…)

Eu Sei Que A Citação Tem Um Contexto, Mas Confesso Que O Manuel Alegre Já Teve Momentos Melhores E Parece Mesmo Desmemoriado Do Tempo Em Que Foi Ele A Armar-se Em “Professor [Da] Esquerda” E Em Que Lhe Repugnaria Qualquer Centeno

Manuel Alegre voltou esta segunda-feira à noite a um comício do PS em Coimbra, no mesmo pavilhão onde discursou pela primeira vez num comício do seu partido, “há mais de 40 anos”. E assumiu o papel de histórico socialista e “uma das maiores figuras do Portugal democrático” (como foi apresentado pelo líder distrital do PS) para defender a “geringonça”, mas também para deixar um aviso aos parceiros do PS nestes quatro anos: “Não há solução governativa de esquerda sem o PS e muito menos contra o PS. Não há esquerda em Portugal sem o PS ou contra o PS”. Em suma: “Fizemos a geringonça e não temos de ter vergonha dela. (…) Não nos arrependemos, mas também não precisamos de professores de esquerda”.

conversa_da_treta_zeze_tony1

Sábado

Lido mal com a condescendência e paternalismo da parte de pessoas a quem não reconheço autoridade pessoal ou ética para assim agirem. O que se aplica a alguém como o actual PM que pode até ser um génio político mas é alguém que considero intelectualmente desonesto. E rala-me pouco que gente estimável prefira isso – porque é de “esquerda” – a outro tipo de perfil de governante. Ou que adiram de forma ovina à disciplina partidária. Como é que um gajo que se ameaçou demitir caso o Parlamento – sede da legitimidade democrática por via da representação eleitoral – aprovasse uma lei que lhe desagradava é capaz de se armar em oásis da estabilidade? E escapar com isso e ainda fazer capa de revista?

Que me desculpem lá os cortesãos e outros apêndices a salivar por mais quatro anos de ajustes directos e decretos e despachos a pedido, mas o essencial não difere muito de certas irrevogabilidades do paulinho das feiras…

Frade

Um Presidente Baralhado

Está preocupado que a greve dos motoristas beneficie o PS nas legislativas? A sério, eu pensava que a forma como tem protegido o governo e boicotado toda e qualquer oposição, funcionando como cómoda e inútil almofada de lamentações, é que se tornou a maior garantia de António Costa. Agora é tarde para sacudir a água do capote.

Bigorna

Qual A Utilidade Para A Sociedade De Um “Assessor de Comunicação”?

O Telmo Bértolo descobriu uma destas criaturas (neste caso um mero megafone do poder autárquico, daquele que já municipalizou a Educação, pelo que se percebe o “ambiente”) a perorar as baboserias habituais sobre os professores.

Quem acha que os docentes são uns privilegiados ?

village-idiot_mug

6ª Feira

Parece que é grande notícia da silly season o facto do ME “reconhecer” que a cada ano que passa @s professor@s ficam um ano mais velh@s. É uma constatação extraordinária e parece despertar excitação em quase toda a comunicação social que acreditava que os professores eram todos benjamins buttons e as professoras dancing queens forever.

O mais indecoroso de tudo são as declarações de algumas das avantesmas que bloquearam, por acção ou omissão perfeitamente consciente, que a classe docente se renovasse de forma natural, com aposentações dignas e um processo regular (e não costurado à medida) de entrada nos quadros. Mas ninguém, por educação ou carência de vértebras, parece ter vontade de lhes apontar as responsabilidades que ficam sempre para a) a troika; b) o coelho e o gaspar; c) o centeno.

up+main

 

 

“O País Inteiro”? Alto Lá E Pára O Bailarico… Porque Há Responsáveis Directos E Espalhar As Culpas É Uma Forma Pouco Corajosa De Enfrentar As Coisas!

“O Estado falhou às populações. O país inteiro falhou. Nós falhámos”

Até um completo ignorante em fogos florestais como eu sabe – e escrevi-o – que não é a cortar árvores em beiras de estrada quase sem outro coberto vegetal ou a deitar abaixo selvaticamente o que aparece à frente para cumprir regras parvas que se evitam incêndios como os que voltaram a acontecer. O que se demonstra é que, dois anos depois, de essencial pouco mudou. Muito menos, as desculpas de mau pregador do ministro Cabrita. Até a conversa do presidente Marcelo parece fotocopiada. 

Sim, carvalhos, castanheiros, azinheiras e sobreiros são de baixo e lento rendimento.

onfire